Minha história de Romaria: Ana Cláudia Ferreira

  08 de junho de 2018 • 10h23 • Atualizado em 11/06/2018 • 11h34

No Programa Pai Eterno desta sexta-feira, 8, a guia turístico Ana Cláudia Ferreira compartilhou suas experiências e lembranças das 12 Romaria dos Divino Pai Eterno em que já trabalhou. Atualmente, ela se dedica ao Bonde do Pai Eterno, que circula pela cidade e mostra aos romeiros os principais pontos de peregrinação da Capital da Fé de Goiás. (Assista ao vídeo abaixo) 

“Comecei o trabalho na Romaria não por tradição de família, mas por conhecer a Romaria através das novenas do Pai Eterno com o Pe. Robson, e de lá para cá, quando eu mudei para Trindade já não parei mais. Iniciei o trabalho como leitora na missa, depois fui para a Missa dos Romeirinhos, que eu fazia a animação. Depois trabalhei na acolhida aos devotos. Agora, estou no Bonde Pai Eterno, que também tem toda uma acolhida diferenciada com o romeiro”, disse.

Sobre o trabalho no bonde, ela afirmou que é um momento de renovar as energias, a fé e é bonito de viver. “Há dois anos e meio eu estou trabalhando no Bonde Pai Eterno, levo a informação, apresento todos os pontos religiosos da cidade e fazemos uma mistura de catequese, animação e evangelização. Como eu sempre digo, no Bonde você pode chegar triste, abatido, deprimido, que vai sair de lá com a energia renovada para continuar exercer sua fé católica”, disse.

Muitos devotos aguardam o momento da Romaria o tempo todo e a Ana Cláudia faz questão de recebê-los com muita alegria em Trindade. “Quando eles chegam, são sofridos e ao mesmo tempo com aquela misturinha de alegria, de agradecimento ao Pai Eterno por todas as energias e bênçãos recebidas. Então, é uma troca muito grande, porque o romeiro chega concentrado, mas quando sai do bonde, sai aberto, leve, alegria estampada no olhar de cada um”, afirmou a guia.

Veja também:

Para ela, não é um trabalho, é um ensinamento. “A troca é tão grande que eu consigo continuar a minha caminhada na minha vida, por maior que seja a minha dor que eu possa estar vivendo naquele momento, mas lá a minha fé renova e engrandece. Não sei muito bem explicar isso, mas é no olhar do meu irmão que eu sinto um amor tão grande, uma necessidade tão grande de continuar meu trabalho como cristã”, pontuou.

Das lembranças que ela tem da Romaria, o momento mais marcante é o encerramento. “O desfile do carro andor, que eu também já ajudei na organização dos anjinhos, é um momento muito marcante, porque é como se fosse o momento final do agradecimento e no dia seguinte eu já estou pronta, preparada para continuar o meu ano e preparar para a próxima Romaria do Divino Pai Eterno”, declarou.

Para este ano, Ana Cláudia já fez os seus votos e aproveitou para fazer um convite: “Em 2018, nesta Romaria, eu espero renovar a minha fé cada vez mais. E eu conto com a presença de todos os peregrinos do Pai Eterno, porque só assim nos tornamos um ser humano melhor, capaz de ofertar mais amor, ter um olhar mais fraterno com todas as pessoas e é isso que eu espero da Romaria do Pai Eterno neste ano, aumentar cada vez mais a minha fé. Convido todos vocês a viverem esse momento de fé em Trindade”, concluiu.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também