Voluntariado: gratidão em ajudar o próximo e compartilhar amor

  05 de dezembro de 2018 • 12h57 • Atualizado em 06/12/2018 • 12h11

O Programa Pai Eterno desta quarta-feira, 5, mostrou que a vida de muitas pessoas pode ser transformada pelo trabalho voluntário. Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018 mais de sete milhões de pessoas doaram um pouco de tempo e conhecimento por boas causas. (Assista ao vídeo abaixo)

Francisca Alves do Nascimento é voluntária nas Obras Sociais e faz seu trabalho com muito amor e gratidão. “Faço com carinho, dar comida para essas crianças é muito bom. Eu me sinto a mulher mais feliz do Brasil, do mundo. Enquanto vida eu tiver estarei aqui trabalhando”, disse.

O ato de ajudar e compartilhar amor está ganhando cada vez mais adeptos. Nas Obras Sociais Redentoristas o voluntário tem um papel fundamental para que tudo saia da melhor maneira.

A Divina Ribeiro Paula também é voluntária nas Obras Sociais e faz várias atividades durante o atendimento. “Eu mexo com ornamentação. Faço cartazes, trabalho no lugar das educadoras quando elas faltam ou precisam sair para lanchar. Sempre faço alguma coisa aqui”, comentou.

Ser voluntário não tem  remuneração ou lucro. O que vale é a contribuição para um mundo mais solidário. “Porque nem sempre na vida o dinheiro paga. É um gesto de amor. Me sinto bem, feliz , muita vezes não sou eu que ajudo, eles que me ajudam e fazem a diferença na minha vida. Eu não vejo o dia passar, as dores, é muito especial”, afirmou Divina.

Veja também:

Francisca guarda com carinho a lembrança de uma das crianças que atendia. “Ele me chamava de minha rainha. Aí, ele chegava na cozinha me abraçava e um dia ele disse: ‘Dona Francisca, se minha mãe fosse carinhosa comigo como a senhora é, eu não teria caído no mundo das drogas. Não tinha sido preso. A senhora é maravilhosa, acolhe todo mundo igual, tem carinho pelo próximo’. Isso me marcou demais!”, contou Francisca.

O trabalho voluntário é muito importante para o futuro das gerações. Quem recebe o amor só sente gratidão. “Eu gosto muito da tia Francisca. A comida dela é uma delícia! Tem vezes que eu nem almoço em casa para chegar aqui e comer muito. E também a tia Divina está sempre me ajudando. Quando eu estou triste, ela me abraça, conversa. Ela é uma das melhores professoras que eu já tive”, afirmou Eduarda dos Santos, 10 anos.

A iniciativa só pode ser feita com muito amor e a fé de cada voluntário mostra como é importante se doar. “É uma maneira de uma resposta de agradecimento. Porque para mim, o Pai Eterno é tudo. Então, é o mínimo que eu posso fazer. Eu me sinto importante. Eles confiam em mim e eu sou amiga de todo mundo. Eles vêm até mim. Outra coisa que me emociona é que tudo que fazemos as crianças agradecem ”, afirmou Divina.

Francisca se emociona e comemora o resultado do seu trabalho: “É um amor, uma coisa maravilhosa. O Pai Eterno também é maravilhoso. Fazer o bem sem olhar a quem. Eu considero filho, netos, é um amor de vó de mãe mesmo. Eu faço o café da manhã com amor e é muito bonito ver o amor que eles têm por mim também”, concluiu.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também