Notícias

Fuja do hábito de reclamar!

O excesso de reclamações no dia a dia é prejudicial à saúde mental e convivência em sociedade.

Imagem: Web

Hoje, do momento em que acordou até agora, quantas vezes já reclamou? Com certeza muitas, isto ocorre porque este hábito é comum no comportamento humano.

As reclamações em excesso são faíscas para discussões, pensamentos negativos, cultivo de mágoas que podem levar a desentendimentos e até a doenças de origem emocional. A psicóloga Jennifer Soares afirma que não é errado se queixar diante do que nos faz mal e causa incômodo, o problema é que fazemos isso sobre qualquer situação. “A reclamação se torna um vício. Reclamamos do clima que está frio ou calor. Reclamamos de ter que acordar e trabalhar e nos queixamos do nosso cônjuge, filhos e amigos. Com isso vamos tomando uma posição negativista diante da vida e das pessoas, nos tornando pessoas frustradas e tristes”, alerta.

Mas como mudar este hábito? A servidora pública, Fernanda Valente, conseguiu fazer esta mudança na sua vida. “O desafio de 21 dias sem reclamar foi proposto pelo diretor da escola onde pratico atividade física e autoconhecimento. Eu me interessei na hora, porque eu já havia percebido que o hábito de reclamar me fazia mal e acabava com o meu dia”.

Fernanda Valente, servidora pública.

Fernanda conta que, quando estava ao redor de pessoas que reclamavam demais, ela se sentia mal e passou a refletir se ela também não era uma dessas pessoas. “Nós somos muito acostumados a reclamar de tudo e a sempre ter uma visão negativa dos acontecimentos, e esse tipo de comportamento é incentivado pela nossa sociedade. Perceba que, se você estiver na fila do mercado e reclamar da demora, todo mundo vai concordar e reclamar junto. Mas se você elogiar o atendimento, as pessoas não se empolgam de elogiar também. Isso gera um estímulo para que possamos reclamar cada vez mais. E é difícil estar cercada de ‘reclamões’ e ser a única pessoa no meio que não reclama”.

A servidora também explica que, para conseguir mudar o comportamento,  precisou prestar bastante atenção nos seus pensamentos e palavras no decorrer do seu dia. “Eu observava meus próprios pensamentos e sentimentos diante de tudo que acontecia no meu dia a dia. Isso foi importante para que não acontecesse de eu reclamar sem ver. Por isso, ali na primeira tentativa eu consegui perceber uma reclamação boba e recomecei o desafio. Esta é uma estratégia para que fiquemos atentos e não caiamos no hábito de reclamar inconscientemente”.

Palavra de Deus

Na Bíblia há muitas passagens que ensinam como a reclamação e a murmuração não agradam o coração de Deus e não coopera para a convivência em família e comunidade. O povo murmurou contra Moisés no deserto, mesmo depois de Deus abrir o Mar Vermelho e libertá-los da escravidão, os judeus murmuraram contra Jesus e seus ensinamentos.

Por isso, é importante controlar os pensamentos e também a língua, pois ela também fere e mata. “Toda espécie de animais, aves, répteis e criaturas do mar doma-se e tem sido domada pela espécie humana; a língua, porém, ninguém consegue domar. É um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero”. (Tg 3,7-8)

A psicóloga Jennifer Soares propõe vários exercícios para se livrar deste hábito e trazer uma outra perspectiva para a vida. “É interessante observar quantas vezes reclamamos durante o dia. O resultado pode ser assustador! A partir daí, fazer um exercício de nos calar quando algo nos incomoda ou tentar olhar o lado positivo de cada coisa ruim. Perceber que há pessoas que sofrem mais do que nós também ajuda porque nos faz refletir que o sofrimento faz parte da nossa condição humana e que ninguém está imune.”

Ela também explica que “em alguns casos, quando a reclamação se torna um vício, um bom exercício pode ser se propor uma prenda, por exemplo, a cada reclamação deve-se depositar uma quantia num cofrinho para doar pra alguma instituição. Ou todas as vezes que sentir vontade de reclamar rezar uma Ave-Maria. Nos primeiros dias talvez você reze um rosário”, brinca Jennifer. A psicóloga também indica uma passagem bíblica que pode inspirar nesta mudança: “Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança”. (Rm 5,3-4)

Fernanda conta que hoje ficar sem reclamar é muito mais fácil e já consegue ver diferenças no seu cotidiano. “Minha vida melhorou muito depois que comecei a reclamar menos! O trabalho passou a ser ainda mais prazeroso, passei a me relacionar melhor com as pessoas a minha volta, os percalços da vida se tornaram cada vez menos constantes, as dificuldades começaram a ser superadas mais facilmente etc. São inúmeros benefícios na vida! Vale muito a pena o esforço para se reeducar e parar de reclamar”, incentiva ela.

E você, aceita o desafio de mudar este hábito? Conta para gente qual sua dica para não reclamar mais!

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS











Newsletter