Doar sangue: ato de solidariedade e amor

  04 de dezembro de 2017 • 11h03 • Atualizado em 06/12/2017 • 11h29

Doar sangue é um grande ato de solidariedade e amor. Isso porque, compartilhando com alguém esse líquido vital, você colabora salvando vidas. Pensando nisso, nossa equipe foi conhecer uma Atitude Cristã que incentiva este ato de carinho.

A vida de muita gente depende dessa corrente. O Hemocentro de Goiânia (GO) convida as pessoas para serem doadoras. A campanha faz parte do Dia Nacional do Doador de Sangue, que foi comemorado dia 25 de novembro. O objetivo é incentivar a população a doar e, assim, aumentar o estoque do banco de sangue.

“O objetivo da campanha é justamente incentivar a doação. E, principalmente, incentivar esta doação voluntária, para que ela seja regular, e não para que a pessoa venha aqui apenas uma vez e depois não apareça mais. A gente quer fidelizar esse doador”, explicou Jaciane Soares, responsável pelo setor de coletas do Hemocentro.

Maxsander Pereira Silva é doador há seis anos. Na primeira vez, ele doou para ajudar uma conhecida, e de lá para cá, nunca mais parou. “Venho pelo menos três, quatro vezes ao ano. É uma satisfação enorme porque estamos ajudando outras pessoas, trazendo vida para outras pessoas. Bom demais, é muito gratificante”, disse.

Cada doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. Doar sangue é um ato voluntário, um gesto de solidariedade. O procedimento é rápido e dura, em média, dez minutos, pouquíssimo tempo para ajudar uma vida, que pode estar dependendo de um ato como esse.

“Nós atendemos todos os municípios do Estado de Goiás, a Região Metropolitana de Goiânia. Nós estamos com estoque de 262 bolsas, somente cinco bolsas O negativo, quando o ideal seria 450 bolsas diárias em nosso estoque”, contou Jaciane Soares.

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos. Menores de idade devem ter a autorização do responsável. É preciso também ter boa saúde, pesar no mínimo 50 quilos e apresentar documento de identificação com foto. Vale lembrar que o doador não pode estar em jejum e ter fumado duas horas antes da doação. “É um procedimento seguro, não dói, apensa uma picada de agulha. Também quem vai receber o sangue pode ficar bastante seguro, porque é feita uma série de exames”, afirmou Jaciane.

Joana D’arc Bernardes Carvalho tirou um tempinho no dia e esteve no local para uma boa ação. “Meu sangue salva muitas vidas. É importante doar, eu fico feliz”, disse.

***

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também