Notícias

1º de outubro: Igreja celebra Santa Teresinha do Menino Jesus

Irmã Carmelita fala sobre a história, devoção, exemplo de fé e amor a Deus deixado pela santa das rosas.

DESTAQUE_ENTREVISTA_29_09_14No dia 1º de outubro, a Igreja celebra o dia de Santa Teresinha do Menino Jesus. Sobre o assunto, o Programa Pai Eterno desta segunda-feira, 29, exibiu entrevista com a Ir. Aparecida Helena da Imaculada Conceição. No Carmelo de Trindade (GO), ela falou sobre a história e devoção à Santa Teresinha, a padroeira dos missionários, que deixou seu exemplo de fé e amor a Deus. (Assista ao vídeo abaixo)

Douglas Branquinho: Quem foi Santa Teresinha do Menino Jesus?

Ir. Aparecida Helena: Nossa querida Santa Teresinha foi Carmelita Descalça como nós, de clausura, que viveu 24 anos apenas. Com 15 anos ela entrou no Carmelo. Ela é a Santinha determinada.

Douglas Branquinho: Por que mesmo com tão pouca idade ela possui uma devoção tão grande?

Ir. Aparecida Helena: Ela vem de uma família santa. Os pais já são beatos, Martins e Zélia, e eram cinco irmãs, quatro carmelitas e uma que foi do Mosteiro da Visitação. Então, desde o berço ela recebeu essa semente. O bonito em Santa Teresinha é que ela foi uma filha que tinha o gênio muito forte, mas desde criança ela soube canalizar tudo isso para Deus, para o amor. Por isso que ela alcançou, como ela disse que iria para o céu, mas não iria descansar enquanto não visse todo o mundo experimentar as delícias do amor de Deus.

Douglas Branquinho: A novena das rosas é muito conhecida. Qual a ligação de Santa Teresinha com as rosas?

Ir. Aparecida Helena: Quando ela vivia no Carmelo com suas irmãs, ela falava que quando fosse para o céu, que ela iria fazer cair uma chuva de rosas sobre toda a humanidade, então por isso que vem essa devoção das rosas. Por isso, ela é a santa das rosas. Para nós, as rosas significam as graças de Deus. Ela seria a intercessora para fazer chover chuvas de bênçãos e graças do céu, simbolizadas pelas rosas.

DESTAQUE_ENTREVISTA_TXT_02_29_09_14Douglas Branquinho: A senhora disse que ela era uma Carmelita que vivia na clausura. Como ela se tornou padroeira universal das missões?

Ir. Aparecida Helena: Antes ela falava que queria ter todas as vocações e via a pequenez dela. Então ela abrindo a Palavra de Deus na carta de São Paulo, onde fala sobre a função dos missionários, dos apóstolos, ela se sentiu muito pequena, e ela queria estar em tudo. Continuando a leitura, ela viu que o corpo místico de Deus tem um coração. Então ela optou por ser esse coração.

Douglas Branquinho: Hoje, como as Carmelitas procuram seguir o ensinamento de vida deixado por Santa Teresinha?

Ir. Aparecida Helena: Continuamos no mesmo itinerário, então mesmo dentro da clausura. Nós temos a nossa irmã, Santa Teresinha, a nossa coirmã fala aqui, que mesmo sem saber das notícias do mundo, sabemos em que pé está, mas sem saber. Se eu estou em intimidade com Deus, estou em oração, o próprio Espírito Santo nos revela onde nós temos que chegar na nossa oração.

Douglas Branquinho: E como nós podemos viver um pouco desse amor, dessa relação com Deus, como teve Santa Teresinha?

Ir. Aparecida Helena: É muito simples. É estar com o coração sempre aberto para Deus e acreditar que Ele é o nosso tudo. Um dos pensamentos que muito me encanta é quando ela diz que Deus não coloca em nós desejos irrealizáveis. Então, se temos um desejo de ser bom, de ser santo, esse desejo é de Deus, então Ele dá a graça para a gente conseguir, como ela conseguiu.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store