Notícias

Vidas transformadas pela fé e evangelização

Amigas do Centro de Convivência, uma das obras sociais apoiadas pela Afipe, são exemplos de mudança de vida.

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2015_01_21_001Levar esperança e fortalecer a fé. É isso e muito mais o que as obras sociais apoiadas pela Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) proporcionam à comunidade em geral. Os atendidos são aqueles que mais precisam de atenção e carinho especiais.

Os frutos deste trabalho são de transformação de vidas e realidades, assim com a história das amigas Marivone Miranda de Oliveira e Joana Elias Guiliane, atendidas no Centro de Convivência Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Goiânia (GO). O destaque foi do quadro Em Nome da Vida exibido no Programa Pai Eterno desta quarta-feira, 21. (Assista ao vídeo abaixo)

Uma amizade guiada pela fé. Há anos Marivone e Joana são vizinhas. Uma sempre ajudando a outra a vencer as dificuldades da vida. Há cerca de nove anos, Marivone descobriu o Centro de Convivência.

“Quando eu conheci tinha um ano que meu marido tinha morrido e minha vida era trabalhar. Eu gostava muito de trabalhar para ajudá-lo. Aí um dia, um casal de amigos chegou na minha casa, eu estava na cama, não queria saber de ninguém. Chorar e fumar era só o que eu sabia fazer na vida. Minha filha chegava meio dia, não tinha comida pronta, porque eu não tinha vontade de fazer nada. A minha tristeza era muito grande. Aí o casal falou que iria me levar ali, e que eu gostaria. Quando cheguei lá no Centro de Convivência, eu achei tão estranho, eu olhava as flores e achava que nunca daria conta de fazer. Aí minhas colegas me deram muito apoio”, contou Marivone de Oliveira.

Veja também:

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2015_01_21_002

Recebendo muito amor e atenção, ela foi se sentindo cada dia melhor. Até que a depressão foi totalmente curada. Foi quando convidou a amiga, Joana, que passava por problemas de saúde, para também frequentar o Centro de Convivência. “Depois que eu aposentei e adoeci e não tinha mais o que fazer. Eu não posso ficar parada”, disse.

No local são desenvolvidas várias atividades. Elas se distraem e fazem muitas amizades. “Eu chego lá e meus trem de trabalhar já estão na mesa. Eu faço flor de meia, faço fuxico, pinto, bordo”, completou Joana Guiliane, muito sorridente e feliz.

O Centro de Convivência é sinônimo de mudança na vida delas. Segundo Marivone, lugar onde encontraram a alegria de viver, e mais do que isso, onde tiveram a oportunidade de recomeçar. “Tem nove anos que estou lá dentro, e foi lá que minha vida mudou! E eu não pretendo sair, hoje eu estou feliz”, disse.

Cheias de fé no Divino Pai Eterno, sempre que podem elas acompanham as missas e novenas pela televisão. Depois de tantas dificuldades vencidas, os dias agora são marcados por gratidão. “Graças ao Divino Pai Eterno. Se não fosse Ele, eu não estaria aqui, feliz, junto com vocês”, concluiu Marivone. “É uma bênção do Divino Pai Eterno mesmo. Não tenho nada a reclamar, só agradecer”, completou a amiga Joana.

O Programa Pai Eterno vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir aqui pelo portal paieterno.com.br.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store