Notícias

Técnica brasileira de vanguarda é usada para recriar rosto de santos

Ao realizar um trabalho sobre a evolução humana para o Museu de Antropologia […]

RV9135_ArticoloAo realizar um trabalho sobre a evolução humana para o Museu de Antropologia da Universidade de Pádua, o designer Cícero Moraes não foi informado que, entre os crânios, estava aquele de um dos santos mais populares do mundo.

“Me enviaram um crânio com as seguintes informações: era um homem, de 30-40 anos, caucasiano. E, após terminar a reconstrução básica, eles me perguntaram se eu queria saber de quem era aquele rosto. Após minha afirmativa, eles confirmaram ser de Santo Antônio”.

Desde então, a técnica que passou a ser desenvolvida por Moraes junto com o especialista em odontologia Paulo Miamoto, tornou-se referência para a reconstrução facial de santos – e não somente.

“Nós estudamos muita anatomia, muita computação gráfica e também tivemos acesso a crânios de pessoas que contavam com fotografias e tomografias computadorizadas. Ao confrontar os resultados do trabalho que realizamos de modo “cego”, sem saber a origem dos crânios, obtivemos muito sucesso na aparência: o que nós reconstruímos era muito compatível com o indivíduo em vida. E, por meio destes estudos – fizemos cerca de 15 reconstruções com estas características – temos a segurança de dizer que as reconstruções têm uma precisão de 75 a 92%”.

A técnica utilizada na recriação dos rostos dos santos é a mesma empregada na reconstrução daqueles de vítimas de crimes cuja identidade é desconhecida. Portanto, tratam-se de técnicas forenses estritamente científicas.

“Nós não podemos fazer nenhuma intervenção artística ou psicológica no momento da intervenção”.

Santa Rosa de Lima

Entre os trabalhos mais recentes está a revelação do rosto de Santa Rosa de Lima e de outros dois santos peruanos. Morta há mais de 400 anos, a parte o material forense, não havia nada além de uma pintura que retratasse o rosto da santa.

“No caso de Santa Rosa, pelo que observamos, existia um estilo na época em que foi pintado. A reconstrução que fizemos lembra a pintura, mas quando você visualiza ela de frente, o rosto é um pouco mais quadrado do que as pinturas demonstram. Quando é visualizado da lateral, é um pouco mais compatível com a pintura até porque a pintura foi feita deste ponto de vista. O resultado agradou bastante os fiéis, as pessoas gostaram muito do resultado”.

Moraes trabalha agora para finalizar o terceiro e último santo peruano.

“O São Martín de Porres já está pronto. Tivemos uma surpresa muito grande. Não imaginávamos que o resultado final ficaria tão impressionante. E o São João Macías vou começar a fazer esta semana e espero terminar até a semana que vem”.

A equipe brasileira tem novos trabalhos pela frente: em breve começará a reconstruir o rosto de um santo muito popular da região central da Itália. Em paralelo, trabalha ainda para publicar um compêndio sobre as técnicas utilizadas que poderá ser baixado gratuitamente.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno