Notícias

Ano da Misericórdia: a compreensão do amor do Pai

Pe. Rodrigo de Castro fala sobre o convite feito aos católicos pela a Igreja do Brasil para vivenciarem este Jubileu.

DESTAQUE_ENTREVISTA_2015_12_14_001Todo ano a Igreja institui um tema para ser refletido entre os católicos de todo o mundo. O Papa Francisco e o Vaticano convidam para celebrar a Misericórdia. Foi sobre este tema que o Programa Pai Eterno exibiu, nesta segunda-feira, 14, um bate-papo com o Pe. Rodrigo de Castro, coordenador de pastoral da Arquidiocese de Goiânia. (Assista ao vídeo abaixo)

Talitta Di Martino: Por que a Igreja dedica um ano para a Misericórdia?

Pe. Rodrigo de Castro: O Papa Francisco, como todos nós temos acompanhado, tem buscado ser uma pessoa muito encarnada, levar um pontificado diante das necessidades de todos os homens. Então, ele convocou para o Jubileu extraordinário. O Jubileu sempre acontece de 25 em 25 anos, mas ele quis, agora do finalzinho de 2015 a 2016, convocar para um ano extraordinário de Jubileu pela Misericórdia. Uma voz profética de misericórdia na sociedade em que nós estamos vivendo.

Talita Di Martino: O que significa o símbolo do Ano da Misericórdia?

Pe. Rodrigo de Castro: Neste ano, ele é bem diferente. É um símbolo muito moderno, até eu, confesso que assustei quando o recebi, mas você vê que o Pai Misericordioso está acolhendo o filho. É a imagem de Jesus bom pastor, que traz o filho envolto ao seu pescoço. Mas, se nós prestamos atenção nas cores, vamos ver as cores da Misericórdia, e não bastasse também a questão das cores, eu convido a todos que nos acompanham, a entender que o olho do Pai se confunde com o olho do filho, ou seja, um olho entra dentro de um outro olho. Deus é assim conosco, nos entende e nos compreende muito mais do que nós podemos imaginar. Deus olha dentro da gente, enxerga dentro da gente como verdadeiramente somos, e também, diante das nossas fraquezas. Então, não temos o que esconder de Deus.

Talitta Di Martino: Quanto ao Ano da Misericórdia, quais as atividades que a Igreja propõe para os católicos de todo o mundo?

Pe. Rodrigo de Castro: Ao longo do ano, até o dia 20 de novembro de 2016, nós temos vários jubileus acontecendo em nossa Arquidiocese de Goiânia, mas também em toda Igreja no Brasil e no mundo e de maneira muito especial, no final dessa semana, a abertura da Porta Santa na Arquidiocese de Goiânia. O Papa abriu em Roma e assim são várias datas que vão percorrendo este Ano da Misericórdia.

DESTAQUE_ENTREVISTA_2015_12_14_002Talitta Di Martino: Para os filhos do Pai Eterno, como viver o Ano da Misericórdia?

Pe. Rodrigo de Castro: Nós aqui do Santuário do Pai Eterno, desta igreja particular de Goiânia, você que faz parte desta Associação de amor é realmente especialíssimo este momento que estamos vivendo, momento em que somos convidados a nos voltar a compreender o amor do Pai, amor esse que se dá pela misericórdia.

Talitta Di Martino: Padre, que mensagem o senhor deixa para os católicos que já estão vivenciando este Ano da Misericórdia?

Pe. Rodrigo de Castro: Que nós possamos compreender que o nosso Deus é rico em Misericórdia e que nós possamos enxergar que a misericórdia de Deus está acima dos nossos limites. Abrace esta causa, a vitória já é nossa, Deus está conosco. Deixo o convite a todos da Arquidiocese de Goiânia, aos nossos 27 municípios, a você que neste fim de semana estará conosco aqui no nosso Santuário, vamos ter no próximo domingo, 20, às 17h30, no Santuário Mãe do Perpétuo Socorro, a abertura da Porta Santa, do Ano da Misericórdia. Então, venha celebrar conosco.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno