Devoção

Um encontro do Pai Eterno com Seus filhos

Adriana Veiga conheceu a devoção em 2007 e tem vivenciado momento de fé e graças alcançadas.

Ela não conhecia a devoção que, hoje, faz parte da sua vida e da família. Esta foi mais uma das histórias de fé e amor ao Pai contadas no quadro “Em Nome da Vida” desta quinta-feira, 21.

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2016_07_21_002Adriana Veiga é uma empresária paulista que se mudou para Goiânia (GO) em 2007, ano em que conheceu a devoção ao Pai. “A minha fé é a minha perseverança, é a minha vontade de viver”. É assim que ela se sente quando fala do Divino Pai Eterno. “Eu sempre fui muito católica e muito religiosa. Uma amiga, que nasceu em Trindade (GO) e morava em Goiânia, comentou comigo sobre a devoção, sobre a Romaria. Aquilo mexeu muito comigo”, contou Adriana.

Uma fé que aumentou com o tempo. Hoje, Adriana só começa o dia depois de fazer as orações no oratório que montou em casa. “Eu faço a Novena, às 10 da manhã, meu horário preferido. Às vezes, quando possível, vou a Trindade assistir às missas, mas acompanho a programação. Vou até a página, na internet, e acendo a minha Vela da Fé”, disse.

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2016_07_21_003Adriana não conheceu o Divino Pai Eterno por uma tradição de família, como a gente costuma ver nas histórias. Mas, hoje, ela passa essa fé para os três filhos. “Eles gostam muito. É muito importante passar de mãe para filho”, explicou.

Em 2011, Adriana recebeu a graça da cura do câncer de mama. “Eu fiz exames de rotina e fui diagnosticada com câncer de mama moderado, em fase inicial. Só que, no início, tudo é muito assustador. Meu filho mais novo tinha sete meses. Eu amamentei e não conseguia entender. Mas nunca desanimei e fazia minhas novenas. Foi uma graça recebida. Eu devo ao Pai”, disse.

Esta foi apenas uma das graças que Adriana alcançou. Uma outra, também inesquecível, aconteceu na vida do Thiago, hoje, com cinco anos. “Meu filho foi diagnosticado com ceratocone, uma doença no olho. Ele tinha apenas quatro anos. Fiquei desesperada. Levamos a um especialista, que me disse que era muito grave. Eu me apeguei ao Divino Pai Eterno, fiz minhas orações e minhas novenas. Todos os dias eu passava água benta no olho do Thiago e pediu a cura. Quando me mudei para o Rio de Janeiro, levamos o Thiago no melhor especialista da época e meu filho não foi diagnosticado com a doença. Nas palavras do médico, ou o médico onde havia levado se enganou ou ele foi curado”, contou.

Sabendo do poder do Pai Eterno, ela pede não só pela família, mas, também, pelos amigos. Um dia, a Adriana teve quem mostrasse a devoção a ela. Hoje, é ela quem leva o amor do Pai a muitas outras famílias.

Por meio da fé inabalável, a devota se aproxima, todos os dias, do Divino Pai Eterno. “Hoje eu tenho onde me apegar. Eu me entrego nos braços do Pai, eu confio. A confiança é o princípio de tudo, que me faz movimentar, me faz viver”, concluiu.

Veja também:

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno