Catequese

Santa Clara: história de fé e dedicação às obras de caridade

Saiba mais sobre a discípula de São Francisco de Assis, que deixou o legado do amor a Cristo crucificado.

DESTAQUE_VOCE_SABIA_2016_08_11_001A história começa quando uma jovem foge de casa aos 18 anos de idade e vai para uma igreja. Lá, ela já era aguardada por São Francisco de Assis e seus frades. Isso aconteceu na Itália e marcou o início da vida religiosa de Santa Clara de Assis, celebrada pela Igreja em 11 de agosto. O destaque foi do quadro “Você Sabia?”, exibido no Programa Pai Eterno desta quinta-feira, 11. (Assista ao vídeo abaixo)

Ir. Helenice Maria dos Santos é membro da Fraternidade Santa Clara e contou um pouco da história: “Ela se apaixonou pelo ideal de São Francisco e começou assim uma conversa com ele escondido, não por cauda das más línguas, mas de medo, já pensando que a família iria interferir. Ele ia conversando com Clara sobre o seu ideal”.

Conta a história que São Francisco cortou os cabelos de Santa Clara. Eles eram longos e o gesto era um sinal do voto de pobreza para que ela pudesse ser uma religiosa. Santa Clara ainda precisou ir contra a família, que não queria que ela seguisse a vida servindo à Igreja. Depois de muita insistência e perseverança, ela conseguiu o que tanto queria: se dedicar à oração e às obras de caridade.

Veja também:

DESTAQUE_VOCE_SABIA_2016_08_11_002Santa Clara foi fundadora da Ordem de Santa Clara. As irmãs clarissas estão espalhadas pelo mundo inteiro em espírito de oração. Santa Clara se destacou desde cedo por sua caridade e respeito com os mais pobres. “Ela é como se fosse uma luz que nos indica, mostras e conduz até Cristo”, ressaltou Ir. Helenice.

Discípula de São Francisco de Assis, Santa Clara ainda se dedicou à escrita. Muito culta, era através disso que ela expressava seu pensamento e também falava sobre Deus. Uma vida marcada pela fé. “Legado que Santa Clara nos deixa, em primeiro lugar, é o amor a Cristo crucificado. Se tirar de Santa Clara o Cristo crucificado, não fica nada. Ela dizia para suas irmãs ‘Olhem, considerem e contemplem’”, pontuou a irmã.

Santa Clara de Assis faleceu em 1253, na Itália, de onde nunca saiu. Sua canonização aconteceu dois anos depois, em 1255. Ela viveu o mistério de Jesus Cristo, seguindo os passos de São Francisco de Assis. “Clara é pobre, pois Cristo é pobre. Ela deixa esse legado para nós. Nos chama à pobreza porque Ele é pobre. E nos chama à humildade, que também é outo legado dela. Outro é a vida de oração e contemplação. Todos nós somos chamados à oração e contemplação”, concluiu Ir. Helenice.

Um ano antes de Santa Clara de Assis falecer, em 11 de agosto de 1253, ela queria muito ir a uma missa na Igreja de São Francisco (já falecido). Não tendo condições de ir, por estar doente, ela entrou em oração e conseguiu assistir toda a celebração de sua cama em seu quarto no convento. Segundo seus relatos, a Missa aparecia para ela como que projetada na parede de seu humilde quarto. Por isso, ela ficou conhecida também como a Padroeira da Televisão.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store