O fundador da Congregação do Santíssimo Redentor

História de Santo Afonso Maria de Ligório é marcada pelo carisma redentorista da evangelização e amor por Deus.

DESTAQUE_ESPECIAL_2016_11_08_003O segundo ciclo das Novenas Internacionais 2016, acontece seguindo os passos de Afonso Maria de Ligório, nas igrejas e cidades onde passou toda a história desse santo que fundou a Congregação do Santíssimo Redentor. O Programa Pai Eterno desta terça-feira, 8, mostrou detalhes da história de Santo Afonso e do início do carisma seguido e continuado pelos Missionários Redentoristas em todo o mundo. (Assista ao vídeo abaixo)

Nápoles ao Sul da Itália, pertence à região da Campânia. A cidade é a terceira mais populosa em toda a Itália. Marianela é o lugar onde nasceu e foi criado Santo Afonso Maria de Ligório. Por lá, está o Palácio de Ligório, lugar onde Afonso viveu os primeiros anos de sua vida. Em 1696, ele nasceu de uma família nobre. Alguns objetos que pertenceram ao santo estão expostos no Palácio. Em uma capela, Santo Afonso rezava com os amigos quando visitava Marianela.

Aos 12 anos Afonso já dominava Ciências Humanas, Filosofia e Latim, além das aulas de música e pintura. Nas paredes do Palácio de Ligório, em Marianela, estão preservadas várias obras pintadas pelo próprio Afonso. “Ele teve um guia espiritual desde muito jovem. Ainda quando era jovem a sua mãe o ensinou a rezar. Em Pagani existe um caderno que ele até o fim da vida lia as orações que sua mãe o ensinou”, relatou o Missionário Redentorista, Ir. Matteo Ergoli.

DESTAQUE_ESPECIAL_2016_11_08_002Em 1723, Afonso abandona a casa da família Ligório e a profissão, e ingressa para o seminário. Após se tornar um famoso sacerdote de Nápoles, por suas pregações, Afonso fica doente e recebe recomendações médicas para passar um período nos montes. E é na cidade de Scala que ele começa a pregar e ensinar o catecismo aos moradores do local. “Portanto foi em Scala para repousar. E ao repousar lhe apareceu Nossa Senhora, que também aparecia a São Francisco de Assis e dizia: ‘Este será um novo missionário’. E assim, Santo Afonso iniciou. Não é fácil explicar a vida de Santo Afonso, pois é uma vida interior muito forte, tanto que quando ele andou em Scala para fundar com seus companheiros foi abandonado por todos”, ressaltou Ir. Matteo Ergoli.

Scala guarda boa parte da história de fundação da Congregação do Santíssimo Redentor, pois Santo Afonso passava muito tempo na cidade. Atualmente, funciona em Scala um convento redentorista onde, em 1732, ele criou a Congregação do Santíssimo Redentor. “Reza Maria para que lhe dê um sinal. E Maria, na nossa tradição, deseja aparecer na gruta, não somente para lhe confirmar sua intuição de fundar uma congregação, mas também dizer algo sobre a regra, que não é aquela de ensinar, de repetir aquilo que já fazem outras congregações, mas aquela da evangelização, o feliz anúncio, o anúncio da misericórdia”, explicou Pe. Vincenzo Loiodice, pároco da Catedral de Scala.

Veja também:

DESTAQUE_ESPECIAL_2016_11_08_004Aos 62 anos Santo Afonso recebe, do papa Clemente XIII, o título de bispo de Santa Ágata dos Godos. Em seu episcopado escreveu sermões, livros e artigos para encorajar a devoção ao Santíssimo Sacramento e à Virgem Maria. Somente em 1775, com quase 80 anos, volta ao convento de Pagani. Muito doente, padecia de muitas dores no corpo, mas não deixava de rezar.

Ao toque do Angelus e rodeado pelos confrades em oração, Afonso Maria de Ligório morre em 1º de agosto de 1787, aos 91 anos de idade. “O carisma é o mesmo do Redentor, por isso, desejou que se chamasse Congregação do Santíssimo Redentor, ou como somo mais conhecidos, Missionários Redentoristas, pois devemos continuar o obra do Redentor”, declarou Pe. Luciano Panella.

Antes de morrer, Santo Afonso deixou pronto o projeto da igreja que desejava construir anexo ao convento. A Basílica de Santo Afonso em Pagani guarda, hoje, os restos mortais do padre. Afonso Maria de Ligório deixou um legado de músicas, poesias e pinturas. Sua obra literária com linguagem simples e brilhante, já foi traduzida em mais de 70 línguas e está espalhada por todo o mundo.

DESTAQUE_ESPECIAL_2016_11_08_007“Para mim ele é um inspirador, porque todo o meu trabalho é uma busca de renovação, inovação, de buscar falhas, que muitas vezes nós não percebemos enquanto Igreja, e tentar fazer a minha parte usando minha criatividade para ajudar a preenchê-las. Toda instituição tem falhas, que não são erros, mas têm vácuos que precisam ser preenchidos. Eu acredito que esse trabalho missionário que nós realizamos é uma tentativa de reforçar um aspecto missionário, de responder um apelo da Igreja. E foi isso que Santo Afonso fez no seu tempo”, afirmou Pe. Robson de Oliveira.

Santo Afonso apresentou um Deus amigo, amoroso e misericordioso que está sempre pronto para perdoar. Ele está com o Pai e intercede por nós como santo da Igreja Católica.

Confira a versão completa desta reportagem no Canal Pai Eterno, no Youtube.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store