“Me faz bem”, afirma paciente da equoterapia

Terapia é oferecida para pessoas com deficiência na Vila São Cottolengo, em Trindade (GO).

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2017_01_18_004O Programa Pai Eterno desta quarta-feira, 18, mostrou como a equoterapia, oferecida na Vila São Cottolengo, em Trindade (GO), ajuda pessoas com deficiência. Atualmente, a terapia atende cerca de 240 pessoas e é oferecida desde 1999 para os pacientes internos e, desde 2002, para o público em gera. É a primeira experiência na região Centro-Oeste do Brasil. O destaque foi do quadro Em Nome da Vida. (Assista ao vídeo abaixo)

A Carol tem 15 anos, há mais ou menos um ano e meio, toda terça-feira, ela frequenta a Vila São Cottolengo, para participar da sessão de equoterapia. A mãe dela, Aleane Alves Pimenta Gomes, é quem a acompanha. As duas vivem em Nazário, cidade vizinha. De acordo com a mãe, a terapia foi recomendação médica, por causa da deficiência que a Carol nasceu. “Ela tinha muita dificuldade em aprender, falar e até se equilibrar para andar. Agora, a autoestima que ela não tinha, ela dava muito trabalho na escola, em casa, não me ajudava em casa. Hoje ela lava a casa, me ajuda a fazer comida”, afirmou.

A equoterapia consiste em andar a cavalo. Pode parecer simples, mas para quem tem alguma deficiência é muito importante. Desde o processo de montar no animal até as passadas que ele dá. Segundo a fisioterapeuta Gizele Alves Tomaz, tudo gera ganhos tanto físicos quanto mentais. “O cavalo tem o movimento muito parecido com o movimento do paciente, do ser humano, que é tridimensional. Então, na verdade, quando o paciente perde esse movimento, o cavalo empresta as pernas dele pra gente conseguir trabalhar essa musculatura que a pessoa não consegue mais trabalhar”, pontuou.

Veja também:

DESTAQUE_EM_NOME_DA_VIDA_2017_01_18_003Ainda de acordo com Gizele, a fisioterapia utiliza do movimento do cavalo através das terminações nervosas que o ser humano tem na pele. “O paciente vai receber esse estímulo que será interpretado no sistema nervoso, na parte cerebral, e voltará com os movimentos. Assim, conseguimos trabalhar força, equilíbrio”, explicou.

A sessão de equoterapia dura de 30 a 40 minutos, uma vez na semana e faz muito bem para o pacientes. O Pedro Augusto Ferreira, 4 anos, confirmou: “Faz bem!”.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno