Devoção

Setembro: Mês da Bíblia na Igreja Católica

Pe. João Paulo Santos fala sobre os livros e explica como os cristãos devem vivenciar este tempo.

Setembro é o Mês da Bíblia e foi sobre a Palavra de Deus que o Pe. João Paulo Santos, Missionário Redentorista, falou em entrevista ao Programa Pai Eterno desta segunda-feira, 4. Ele falou sobre os livros da Bíblia e ressaltou como os cristãos devem vivenciar este mês. (Assista ao vídeo abaixo)

Talitta Di Martino: Padre, o senhor estudou Exegese Bíblica, em Roma. O que é esse estudo?

Pe. João Paulo: É um curso específico para reflexão, meditação e interpretação dos textos bíblicos.

Talitta Di Martino: Por que setembro foi escolhido para ser o Mês da Bíblia?

Pe. João Paulo: É uma história interessante. Primeiro, a motivação é porque nós encerramos o mês de setembro celebrando um santo muito importante na Igreja: São Jerônimo, considerado pai da Igreja. Ele ocupou uma função muito importante como secretário do Papa e dedicou quase a vida inteira para traduzir a Bíblia, os textos grego e hebraico em Latim, a famosa vulgata que conhecemos. Aqui no Brasil, começou com a Arquidiocese de Belo Horizonte, e depois foi tomando uma proporção a tal ponto que a CNBB orienta que neste mês toda a Igreja do Brasil celebre o Mês da Bíblia.

Talitta Di Martino: E este tema, Bíblia, como ele é celebrado nas paróquias, comunidades e como elas trazem isso para a realidade?

Pe. João Paulo: Supõe-se que neste mês se intensifique nas paróquias os estudos bíblicos. É o modo específico de ter esse contato direto com textos bíblicos. Os grupos de encontros são os subsídios, nas pequenas comunidades, fazendo as suas celebrações, tomando consciência dos textos bíblicos, especialmente na Liturgia, dando destaque à Palavra de Deus.

Talitta Di Martino: Qual seria a diferença entre os livros da Palavra de Deus?

Pe. João Paulo: Na verdade, o nome Bíblia já diz, é um conjunto de livros, uma biblioteca. No nosso caso, a Bíblia cristã é constituída de 73 livros. Embora os Evangelhos sejam o ápice da revelação divina para nós, mas eles estão dentro desse conjunto todo do processo revelatório de Deus. Então, não dá para dizer que um livro é mais importante que outro.

Talitta Di Martino: São textos muito antigos que temos na Bíblia. Ainda hoje, eles nos levam a refletir. Qual a melhor forma de fazer essa reflexão e trazê-los para a nossa realidade de cristãos?

Pe. João Paulo: Nosso modo de debruçar sobre este texto é bem diferente do modo que lidamos com outros textos. Então, o elemento da fé é importantíssimo. Ler o texto, mas a partir de uma espiritualidade, porque são textos sagrados. Depois é importante que a gente faça, o que chamamos tecnicamente de transculturação, que significa que a gente para poder compreender bem, acolher o sentido do texto, precisamos entender que o texto traz consigo uma cultura, só que ao mesmo tempo esse texto vem para a minha cultura, minha realidade, o lugar onde eu vivo, realidade da minha comunidade. Portanto, é o encontro dessas duas culturas, não é um texto que conta a história do passado somente, mas um texto que ilumina o meu presente e me coloca em uma perspectiva de futuro. Então, este é o modo que nós deveríamos tomar os textos bíblicos quando nós os lemos.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store