Evangelização

Outubro: Mês das Missões

A Igreja Católica dedica este mês a todos os que, de alguma forma, cumprem a missão de evangelizar.

Outubro é o mês dedicado às missões. No começo do mês, a Igreja celebra a Festa de Santa Teresinha do Menino Jesus, a Padroeira das Missões; e no fim do mês, celebra o Domingo das Missões.  Neste mês, os católicos se voltam ao serviço missionário e homenageiam os que se dedicam à evangelização.

O Missionário Redentorista, Pe. Carlos José de Oliveira, é um exemplo de religioso que está em missão desde 2007, quando recebeu a ordenação sacerdotal. Há um ano e meio ele está em Portugal, na cidade de Amadora, trabalhando na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Ele conta que em seu trabalho tem encontrado corações abertos para que a evangelização aconteça e para que o pedido do Papa Francisco de ter uma Igreja em saída, que vai em busca dos que mais precisam, se cumpra realmente. ”O trabalho missionário realizado por nós, redentoristas, em todas as comunidades que estamos inseridos  é de suma importância para a vitalidade da Igreja, que tem por vocação ser missionária. Seguimos os passos do Redentor que nos envia em missão, onde Ele mesmo deveria ir. Aonde somos enviados, levamos a Boa Notícia do Evangelho de forma dinâmica e alegre”, afirma.

Seguir em missão é gratificante, mas segundo o padre, existem muitos desafios, principalmente para ele, que está em terras estrangeiras. “Ser estrangeiro nos desafia a acolher o novo, desinstalar, desacomodar o coração e o quanto isto nos custa. Um dos desafios aqui é o modelo de Igreja diferente do que experimentei no Brasil. Não quero comparar, pois onde há comparações, um sempre acaba perdendo. Porém, há desafios grandes começando pela nossa maneira de falar, passando pelo nosso jeito de evangelizar de forma alegre em uma terra de cultura próxima e, ao mesmo tempo, diferente da nossa. Há incompreensões, mas, ao mesmo tempo, compreendem a necessidade do novo que chega. Corre-se o risco de querer impor nosso jeito de ser Igreja”, ressalta Pe. Carlos José.

Mesmo enfrentando os desafios, poder trabalhar em missão pastoral o deixa muito feliz. “Nossa Congregação Missionária, seguindo a estimativa do País, tem envelhecido nestas terras. Somos quatro confrades missionários do Brasil aqui, temos uma missão de trabalhar em um projeto vocacional e esbarramos na falta de vocações e de jovens no coração da Igreja”, comenta.

A missão tem sua origem nas Palavras de Jesus. O capítulo 28 de São Mateus, diz que Jesus envia os Apóstolos para a missão de evangelizar e a Igreja reconhece que é feita para a missão, para evangelizar. Papa Francisco ensina especialmente aos jovens corajosos, audazes a assumir também a missão, pois Jesus chamou os discípulos.

Padroeira das Missões

Ainda muito jovem, aos 15 anos, Santa Teresinha ingressou no Carmelo de Lisieux, na França, após apoio de seu pai e uma autorização direta do Papa. Os nove anos de vida em clausura deixaram uma marca profunda, oferecendo ao mundo cristão a surpreendente imagem de uma jovem freira que, embora relegada ao Carmelo, viveu imersa na vida eclesial.

Não existe missão sem o amparo da oração e Santa Teresinha fez isso: dedicou toda a vida a orar pelas pessoas. Em 1927, dois anos depois de ser canonizada, foi proclamada Padroeira das Missões. Ela trazia no seu coração um poço muito grande, um ardor, um zelo, que ela também aprendeu. Suas orações, seus pequenos sacrifícios eram direcionados para o bem da Igreja, para evangelizar.

 

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store