Evangelização

Preparação para a Páscoa do Senhor

Cristãos são chamados para vivenciar a experiência de penitência e renúncia por sua própria Ressurreição, assim como fez Jesus

É chegada a hora de reviver o mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Momento em que toda a experiência de fé cristã se concentra na salvação eterna por meio do sacrifício de Jesus. Um período da Igreja que leva o cristão a refletir sobre seus atos e a buscar a conversão e o perdão pelos seus pecados. São 40 dias de preparação, oração e conversão que se inicia na Quarta-feira de Cinzas e segue até a Missa da Ceia do Senhor, momento em que se se inicia o Tríduo Pascal na tarde da quinta-feira da Semana Santa.

Na Quaresma, as pessoas têm mais uma oportunidade de observar de perto a manifestação do amor do Pai Eterno por meio de gestos externos. “Este amor a Deus é a fonte de nossa coragem para vivermos no mundo com suas contradições, dificuldades e desafios, sem nos deixarmos abater, sem perder a fé, sem desanimar da esperança cristã e sem permitir que nossa alegria se acabe”, explica o bispo auxiliar de Goiânia, Dom Moacir Silva Arantes.

O tempo quaresmal é um período especial porque prepara o cristão para a Ressurreição de Cristo. “É a partir deste evento, da presença de Cristo Ressuscitado, que a vida do fiel se organiza e se ordena em vista da redenção do mesmo”, diz Dom Moacir.

Segundo o epíscopo, a Quaresma chega para levar os cristãos a perceberem o amor de Deus. E isso acontece pelos sacrifícios que são realizados através da oração, do jejum, da esmola, da penitência, da confissão, da participação na Eucaristia e do compromisso social a partir da Doutrina Social da Igreja.

“Quem vive intensamente a Quaresma, viverá plenamente a Semana Santa e, nela, o Tríduo Pascal, experimentando também em si, a mesma força que ressuscitou Jesus – o amor da Trindade Santa”, diz o bispo auxiliar.

Evangelhos

Durante este tempo, o Evangelho mostra claramente os sacrifícios de Jesus e convida as pessoas a perceberem o que Ele fez por Seus irmãos. Por meio dos textos de São Marcos, nos dois primeiros domingos, Jesus é apresentado na tentação que sofre no deserto e na transfiguração com que se revela aos discípulos antecipadamente.

Os outros três domingos são os textos do Evangelho de João, que apresenta Jesus como Luz e Vida. “Podemos perceber que os Evangelhos nos aproximam de Jesus para conhecê-Lo, perceber Suas escolhas, o caminho que Ele percorre, e que somos chamados a percorrer com Ele para experimentarmos a vida nova da Ressurreição”, pontua Dom Moacir.

Cores e simbologia

As cores litúrgicas da Igreja simbolizam a manifestação dos mistérios celebrados. Cada cor significa o tempo que a Igreja está vivenciando e ajuda os cristãos a identificarem o Tempo Litúrgico.

Na Quaresma, o roxo é a cor usada para lembrar o recolhimento, a penitência, a austeridade, pois esse tempo é favorável para o recolhimento e renúncia que conduzem à conversão.  “A Quaresma chama à reflexão sobre a realidade da própria vida e da vida dos outros, a realidade do mundo em que estamos inseridos, buscando a superação do pecado e da morte presentes em nós, nos irmãos e no mundo. Superamos isto através da confissão, do perdão e do compromisso com a transformação do mundo”, explica o bispo.

O 4º Domingo da Quaresma é conhecido por Domingo da Alegria e se apresenta como um momento de júbilo dentro deste tempo. Por isso, a cor rosa substitui o roxo.

Atitudes

Dom Moacir reforça que a Quaresma é tempo de dar mais atenção a Deus, reconhecendo Seu valor e Sua importância em nossas vidas. Momento de buscar a mudança para melhor e de olhar para os irmãos em suas necessidades materiais, espirituais e afetivas. “Neste tempo, a escuta da palavra é acompanhada de obras que denotam a atitude de conversão”. Para isso, três atitudes simbolizam esta atenção: oração, jejum e esmola.

Oração

A oração é tida como o momento de aproximação com Deus. O cristão se comunica diretamente ao Pai Eterno sob meditação em grupo ou de forma solitária. É por meio da oração que as respostas para os desejos são dadas. A oração deve estar presente em todos os momentos da vida cristã, mas o período da Quaresma leva o fiel a falar mais com Deus e se dedicar mais a Ele.

Penitência

A Quaresma leva o cristão à conversão. Ela é feita por meio da oração, penitência e jejum. Geralmente, os cristãos fazem penitência às sextas-feiras e se privam de algo que os agrada, como forma de lutar contra o pecado para o crescimento espiritual. A penitência ajuda a fortalecer a fé e seguir nos caminhos da salvação apresentados por Jesus.

Caridade

Considerada como gesto concreto de conversão e vivência da oração, a caridade faz o cristão aproximar-se dos seus irmãos e colaborar com a obra de Deus, levando o amor e a evangelização.

 

 

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store