Doação

Praticar o bem: você já olhou para o seu irmão hoje?

No Dia da Caridade, lembramos que a gratidão da prática do bem alimenta os corações.

Praticar o bem é o objetivo de muita gente que se dedica ao trabalho voluntário. Graças a essas pessoas, famílias carentes recebem apoio, amor, alimentação e outros tipos de ajuda. O trabalho dos voluntários é essencial para a sociedade.

Em Goiânia (GO), a equipe do Programa Pai Eterno conversou com algumas pessoas que são voluntárias e assumiram um compromisso com o próximo. “Dar algo ou ir ao encontro de quem precisa é o básico daquele que é cristão. O nosso grupo foca nisso. O nosso projeto de vida é ser o mais próximo possível de Cristo. Deve ser algo natural em nós cristãos. Algo que vem de dentro, porque o amor é isso”, explicou Yara Berocan, membro do projeto Mais Amigos.

Ajudar o próximo exige desprendimento, amor e fé. Para Wanessa Cascalho, do Grupo do Bem, “a caridade não basta só reunir e doar cestas ou roupas, tem que doar atenção e carinho. É preciso saber ouvir. E isso é impagável”.

Quando fazemos o bem ao próximo, fazemos também a nós mesmos. “A gente aprende com essas pessoas. Quando levamos amor a elas, aprendemos muito. Cada um tem uma coisa a nos ensinar. Às vezes aprendemos mais com elas que elas com nós”, pontuou Júnior Roriz, membro do grupo Desenvolvendo Amor.

Para Júnior Roriz, a caridade é fundamental em sua vida. Não basta cruzar os braços. “É o sorriso no rosto de uma criança, a ajuda a pessoas em situação de rua, quando você leva um produto de higiene. O olho brilha. É isso que importa! Não há recompensa melhor!”

É a gratidão da prática da caridade que alimenta os corações. O Grupo do Bem trabalha em prol do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (CRER) e da Vila São José Bento Cottolengo. “Devidos às necessidades dos pacientes destes locais, muita gente tem preconceito. Cada um deles tem um carência afetiva. É bom demais quando estamos próximos. Vimos que uma cesta básica faz a diferença na vida de alguém, sim. Isso é impagável, é gratificante. É o mínimo que posso fazer. E o que eu puder fazer além disso, vou fazer”, disse Wanessa Cascalho.

“A gente tem visto uma transformação nos voluntários. Muita gente chega até nós perdida, querendo fazer o bem, buscando um caminho, e encontra no grupo um propósito de vida. Além de ajudar os outros, isso é muito importante para quem está ajudando. Muitas vidas são transformadas assim”, finalizou Yara Berocan.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno