Evangelização

Basílica na Polônia é dedicada à Nossa Senhora de Czestochowa

Santuário construído em estilo barroco existe há mais de 600 anos e é um dos mais visitados na Cracóvia.

O Programa Pai Eterno desta sexta-feira, 23, exibiu a última reportagem sobre Nossa Senhora de Czestochowa, a padroeira da Polônia. A equipe de reportagem visitou o mosteiro de Jasna Góra, que fica a cerca de 140 km da Cracóvia, onde está o Santuário dedicado à Virgem Negra. (Assista ao vídeo abaixo)

O Santuário é um dos mais visitados da Polônia e existe há mais de 600 anos, tendo sido cuidado em todo esse tempo pelos padres paulinos. No início de toda a história, este mesmo local era apenas uma pequena igreja de madeira, que ao longo do tempo foi se transformando no que hoje é a tão conhecida Basílica da Natividade de Nossa Senhora e Encontro da Santa Cruz.

A construção da Basílica data do século XV e é toda em estilo barroco. O teto e o altar são cheios de detalhes em afrescos e esculturas que enriquecem a beleza do lugar. As pinturas relembram momentos importantes da história de Nossa Senhora e também de Jesus Cristo. No altar está a representação da Assunção da Virgem Maria, momento em que ela foi elevada ao céu após sua morte. Um pouco mais acima, ainda no altar, Pai, Filho e Espírito Santo coroam a Virgem: imagem que faz lembrar a devoção ao Divino Pai Eterno.

“É claro que no início Jasna Góra estava bem diferente de hoje. Existe aqui uma pequena igreja construída de madeira e com o passar do tempo começaram a ser construídas as partes que hoje formam este conjunto. A parte a ser construída é aquele em que se encontra a capela com o quadro milagroso. Foi depois construída a Basílica no estilo gótico, para acolher os fieis que aqui acorriam e aqui foi acrescentada outra parte da capela. Neste meio tempo a Basílica foi destruída pelo incêndio, em seguida foi construída uma nova e belíssima Basílica no estilo barroco, que existe até o dia de hoje e que podemos admirar” , explicou Pe. Sebastian Matecki, porta-voz de Jasna Góra.

Detalhes também chamam a atenção na porta lateral do Santuário. O trabalho feito relembra como tudo começou. Essa imagem representa a origem do mosteiro de Jasna Góra, onde fica o Santuário. O desenho na porta retrata o Príncipe Ladislau quando trouxe da Rússia, o quadro com a pintura de Nossa Senhora de Czestochowa. Foi depois desse acontecimento, que a construção do mosteiro teve início. Em uma foto, está o Papa Clemente XI. Foi ele quem coroou pela primeira vez a imagem da Virgem Negra.

O órgão, em tamanho diferenciado, tem 105 vozes e mais de seis mil tubos. O magnífico instrumento é uma das maravilhas da Basílica que é toda  foleada no ouro. A igreja foi restaurada da cripta até o teto. O trabalho durou quatro anos, entre 2008 e 2012. Tudo feito com muito cuidado para manter a história de mais de 600 anos. O local foi tomado por cinco vezes e resistiu a 18 ataques. Mas, ninguém nunca conseguiu destruí-lo, o que fortaleceu a crença sobre o poder da intercessão de Nossa Senhora de Czestochowa.

Veja também:

Exatamente ao lado do Santuário, fica a capela com o quadro histórico de Nossa Senhora de Czestochowa, trazido pelo Príncipe Ladislau em 1382. Este altar é do século XVI e foi todo feito em madeira do tipo ébano, escura, densa e de origem africana. É neste local que todos os dias à 13h30, centenas de fiéis se reúnem em um momento de devoção. A Imagem de Nossa Senhora se fecha e depois de algum tempo se abre novamente, em uma celebração. O som dos trompetes interpreta uma música antiga e sacral. E o silêncio toma conta da capela.

A tradição é passar de joelhos em volta do altar, nesse corredor, numa forma de pedir bênçãos ou agradecer pelas graças que já foram alcançadas. Na parede centenas de objetos, como muletas e terços estão pendurados. Quem os deixou no local, foram pessoas que tiveram seus pedidos atendidos pela Virgem Negra. Ela ficou conhecida assim por causa da fuligem das velas que queimavam diante da pintura que acabou se descolorindo.

Este Santuário era para São João Paulo II, um lugar especial. Por várias vezes, o Papa polonês foi um peregrino, manifestando sua devoção a Nossa Senhora de Czestochowa. Hoje, o local atrai devotos do mundo inteiro. A movimentação é intensa, são cerca de quatro milhões de peregrinos que passam pelo Santuário durante o ano. “Hoje vem aqui mais ou menos de três e meio a quatro milhões de peregrinos. A grande maioria desses peregrinos são os poloneses, mas vêm também peregrinos do mundo inteiro, de dezenas e dezenas de países”, concluiu Pe. Sebastian Matecki.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno