Evangelização

É pecado comer carne vermelha na Sexta-Feira da Paixão?

Saiba mais sobre o costume católico de comer peixe neste dia de reflexão sobre a morte de Jesus Cristo.

Geralmente os cristãos católicos têm o costume de não comer carne vermelha às quartas e sextas-feiras da Quaresma, e, principalmente, na Sexta-feira da Paixão. O peixe é o alimento mais comum para este dia, simbolizando o ato de não comer carne, como uma penitência, um sacrifício, já que o consumo da carne é mais rotineiro. Mesmo assim, com toda essa simbologia, a própria Igreja afirma que não é pecado ingerir a carne vermelha.

A Bíblia diz, em Efésios, que o jejum não deve ser usado como meio de se obter o favor de Deus, pois a salvação é unicamente pela graça, mediante a fé em Jesus. Outro conceito relevante é dito pelo Papa Francisco. Ele afirma que o verdadeiro jejum vem do coração. “É preciso distinguir entre o ‘formal’ e o ‘real’, pois, para Deus, não é jejum deixar de comer carne e depois brigar e explorar os trabalhadores. Jesus condenou os fariseus porque faziam tantas observações exteriores, mas sem a verdade do coração”. Segundo o Santo Padre, o jejum que Jesus quer é aquele que dissolve as cadeias injustas e liberta. “O amor a Deus e o amor ao próximo são uma unidade e, se você quer fazer penitência, real e não formal, deves fazê-la diante de Deus e também com o teu irmão, com o próximo”.

Como uma prática voluntária, o jejum é tido como uma forma de aproximação com Deus. Mas e o peixe? Tem algum significado? De acordo com o Missionário Redentorista, Pe. Natalino Martins, desde o início da história humana, dentro da realidade eclesial, a partir de Jesus, é observado que o peixe é o símbolo dos amigos de Cristo. “Por isso, havia entre os cristãos, depois da ressurreição de Jesus, a grande característica de demonstrar, mostrar, apontar e denunciar quem era amigo de Cristo ou não pelo simbolismo do peixe tanto na refeição quanto nos sinais e símbolos para a identificação dos seus amigos. Por isso, na Sexta-feira Santa, todos os amigos de Cristo, tanto na Quaresma, tanto em todas as ocasiões é orientado pela Igreja se comer peixe, não apenas por uma questão estética ou alimentar saudável, mas também para ir imprimindo nos gestos e nas atitudes a amizade do próprio Cristo”, pontua.

De acordo com o Missionário Redentorista, as Sagradas Escrituras mostram que a realidade da carne é a realidade do pecado, do prazer e da luxúria, mas isso não significa se alimentar de carne seja pecado ou coisa parecida. “Apesar da carne ter um simbolismo muito profundo acerca da limitação e fragilidade humana, o cristão faz não apenas uma abstinência alimentar, mas é convidado a entrar em contato com aquele que, de fato, se fez cada vez mais divino, sendo Deus, vivendo tudo, menos o pecado, e ao mesmo tempo tendo a necessidade de tomar a decisão por continuar sendo divino e escola para cada um de nós. Comer carne vermelha não é pecado, mas nós temos que criar esse simbolismo, essa consciência de que a carne é essa limitação humana que carregamos. Comer peixe simboliza, dentro da realidade eclesial, a nossa amizade com Cristo, a nossa unidade, a nossa proximidade com Cristo”, explica Pe. Natalino.

Para a publicitária Celine Ramos, o ato de comer peixe na Sexta-feira da Paixão representa uma forma de penitência no período Quaresmal, mas para ela, o que realmente vale é o sentimento de compaixão. “Tradicionalmente, minha família e eu acreditamos ser um ato em respeito ao sangue de Jesus Cristo derramado por nós, quando crucificado. Não comer a carne vermelha é uma ação externa, que reflete, na verdade, em nosso coração, nosso íntimo como cristãos, de como vivenciamos verdadeiramente este dia de oração e de profunda consternação pela morte de Jesus”, afirma.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store