Catequese

Congregação do Santíssimo Redentor completa 287 anos

Fundada por Santo Afonso Maria de Ligório, a Congregação segue com a missão de evangelização pelo mundo

A Congregação do Santíssimo Redentor foi fundada em 9 de novembro de 1732, em Scala, na Itália, por Santo Afonso Maria de Ligório. Hoje, ela completa 287 anos de história e missão. Atualmente, ela reúne mais de seis mil missionários redentoristas em todo mundo seguindo o carisma de seu fundador: a pregação da Palavra de Deus para as comunidades mais pobres e abandonadas.

Segundo o Superior Provincial dos Redentoristas em Goiás, padre André Ricardo de Melo, quando Santo Afonso criou a Congregação, ele tinha uma intenção especial. “Ele pensou para duas situações próximas, a de entrar para Congregação e se tornar Santo e a de anunciar isso aos outros e servir a Deus de forma gratuita, de modo especial aos mais pobres e abandonados da Igreja”, explica.

De lá pra cá, muito foi feito pelos Missionários Redentoristas com o objetivo de levar os ensinamentos de Deus. A Congregação conseguiu estabelecer uma força de participação muito ativa nas missões itinerantes, no trabalho com santuários e paróquias, e também nos meios de comunicação, principalmente no Brasil, que tem como exemplos Aparecida (SP) e Trindade (GO), além de tantos outros trabalhos com rádios e outros tipos de veículos. “Começamos com as pregações nas missões, mas hoje estamos em santuários, TV, rádio e tantos outros trabalhos para levar essa mensagem a todos”, diz padre André.

Em Goiás, os redentoristas realizam um trabalho especial voltado à devoção ao Divino Pai Eterno e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O trabalho missionário aos pobres também é evidente e se faz presente dentro da Congregação por meio das ações realizadas pelos redentoristas com paróquias espalhadas pelo Estado, muitas delas em lugares de pobreza extrema, sempre com o objetivo de levar a catequese, a compreensão de uma vida mais organizada e de acordo com suas origens, mas também se adaptando aos tempos de hoje.

Segundo o presidente-fundador da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) e reitor do Santuário Basílica, padre Robson de Oliveira, os redentoristas em Goiás realizam um trabalho em colaboração com os filhos do Pai Eterno: “Atendemos mais de 1,2 mil famílias carentes. Temos também um trabalho de missão itinerante; temos o trabalho com a comunicação com rádio, internet, televisão. Trabalhamos também com a formação em paróquias diocesanas e redentoristas. Em suma, nosso trabalho é muito grandioso e exige muito de nós”, ressalta.

Reestruturação

Em todo o mundo, a Congregação do Santíssimo Redentor passa por um processo de mudança significativa em sua organização, para a missão na Igreja e no mundo. Para o Superior Provincial de Goiás, realizar a missão proposta por Santo Afonso é desafiador. “Quando o missionário vem para a Congregação, ele vem para se tornar Santo, assumir as atitudes de Jesus e enfrentar todas as circunstâncias e isso é um grande desafio”, reforça.

Segundo ele, o principal objetivo da proposta de reestruturação é simples. “Ela está sendo feita para podermos melhor servir a Igreja. O objetivo é que diminua estruturas administrativas para liberar mais pessoas para missões. Aqui no Brasil, de nove unidades que somos, ficaremos em três unidades. Nós de Goiás vamos nos unir com Recife e Fortaleza e todos nós da Congregação faremos trabalho especialmente dentro desse raio”, explica.

 

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno









Newsletter