Notícias

Tempo Comum: Entenda melhor como é o Calendário Litúrgico

Como a Igreja Católica se organiza de acordo com os tempos litúrgicos, celebrações, festas e solenidades?

Em cada Santa Missa, celebramos o mistério de nossa salvação. Momento que Jesus Cristo nasce, morre e ressuscita. E tudo na Liturgia está ligado a cada um. Por isso, a Igreja Católica segue o Ano Litúrgico ou Calendário Litúrgico. De acordo com Pe. Vilmar Barreto, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Libertação, para se entender o que é o Ano Litúrgico é preciso entender primeiro o que é a Liturgia. “Ela significa ‘o povo que trabalha e que anda dentro de um ritmo, uma sintonia litúrgica’. Se nós olharmos o Antigo Testamento, nós conseguimos encontrar períodos litúrgicos, que naquele tempo, inclusive, celebrava-se a grande Páscoa, a passagem. Mas, em Jesus Cristo, nós vamos encontrar o que nós realmente celebramos hoje, enquanto período, enquanto Tempo Litúrgico, que é desde o nascimento, a missão de Jesus, sua Paixão, Morte e Ressurreição. Nós temos, então, enquanto período mais forte litúrgico, a Ressurreição de Jesus, a vitória sobre a morte e o pecado”, ressalta o padre.

O Tempo Litúrgico é dividido em Tempo Comum, com início ontem, 13 de janeiro, que acontece duas vezes entre o Tempo Natalino e o Tempo Pascal, que é o período mais forte dentro da Liturgia da nossa Igreja. “Temos os anos ímpares e os anos pares, dentro deles temos os períodos A, B e C, o Evangelho de Mateus, Marcos e Lucas. O Evangelho de João é mais teológico. Então, ele é trabalhado em períodos mais fortes, que nós temos. No período natalino e pascal temos muito forte o Evangelho de João, por isso ele é um Evangelho contemplado para ser utilizado pela Santa Igreja na Liturgia nestes momentos mais fortes”, pontua o Pe. Vilmar.

O sacerdote destaca ainda que dentro do Ano Litúrgico existem as festas, solenidades e memórias. “A diferença entre elas é que a memória é lembrar determinados santos e Nossa Senhora, a grande santa. Portanto, é lembrar momentos importantes e pontuais na Igreja. As festas são momentos mais abrangentes, onde as Igrejas se reúnem para celebrar um padroeiro, uma festa de um santo determinado e também de um local. Já a solenidade é a grande festa, não é a toa que todos os domingos são solenidades”.

Outro aspecto importante referente ao Calendário Litúrgico são as cores litúrgicas utilizadas durante ano nos paramentos. “A cor verde é muito utilizada no Tempo Comum. Ele é um tempo de preparação, primeiramente de Jesus para vivenciar seu reino e depois tempo da nossa preparação. Então, é a cor verde enquanto sinal de esperança. Depois temos a cor roxa, que é utilizada na Quaresma e no Advento. O sentido dele é penitencial e em preparação para aqueles momentos mais difíceis da vida de Jesus, e representa também a nossa vida. Já no Advento, o roxo não é penitencial, ela mostra o momento sublime que vivemos esperando Aquele que há de vir. A cor vermelha é utilizada de forma especial para os mártires, mas não só eles, a cor também é utilizada em Pentecostes, pois representa este momento sublime de uma grande entrega do povo, é o encontro do Deus que entrega seus dons e do homem e da mulher que se entregam recebendo esses dons. Temos ainda o branco ou o dourado que são para as grandes solenidades. O rosa é utilizado na Quarema e no Advento. São dois momentos somente, na parte da Liturgia, do ano litúrgico, que mostra a grande alegria. São dois momentos que cortam para mostrar que em meio a grande dificuldade da Quaresma, nós encontramos com Cristo, que é alegria”, pontuou o padre.

A igreja Católica vivencia o Ano Litúrgico, a sociedade como um todo vive o Calendário Civil. Pe. Vilmar explica a diferença entre os dois: “O Ano Civil são 365 dias, isso depende também se o ano é bissexto ou não. É um ano marcado por repetições e por passado. Temos grandes celebrações civis, não são celebrações que incorporam o mistério de Deus. Então, temos várias datas que se tornam repetição. Já o Ano Litúrgico não é uma repetição, ele é o ontem, o hoje, e o sempre do nosso Senhor Jesus Cristo. Em todas as Eucaristias nós não celebramos o que aconteceu há dois mil anos, mas sim o que está acontecendo agora, o mistério. Claro que não estamos vendo Jesus morto e crucificado agora, mas acontece em forma de mistério. Então, o Ano Litúrgico é o momento em que o atemporal, o eterno se junta com o temporal. O Ano Litúrgico começa no período do Advento, na grande Solenidade de Cristo Rei, onde inicia o ano. Já o Ano Civil começa em 1º de janeiro”, afirma o padre.

Como o cristão deve vivenciar o atual Tempo Comum?

Quem responde a pergunta é o pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos, Pe. Everaldo da Luz Silva: “A Igreja nos convida para que seja um tempo de vivenciar a Eucaristia, ou seja, viver como aprendemos, espelhados nos exemplos de Cristo, tentar viver isso em nossa vida. Um chamado a testemunhar nosso dia a dia em Jesus Cristo. O Tempo Comum nos chama também a celebrar os santos como exemplos de quem viveu para alcançar a graça do Jesus”, conclui o padre.

 

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store