Notícias

Pe. Robson de Oliveira: 25 anos de profissão religiosa

É dia de festa para o reitor do Santuário Basílica de Trindade e Presidente-Fundador da Afipe. Parabéns!

Foi no dia 5 de fevereiro de 1995 que padre Robson de Oliveira, reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e Presidente-Fundador da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) realizou, no ato da consagração religiosa, os votos de castidade, pobreza e obediência para viver uma vida dedicada a Cristo e aos irmãos, escolhendo para si a profissão religiosa. Ou seja, entrou oficialmente na Congregação do Santíssimo Redentor.

“Eu lembro quando em 94 eu fui para Tietê no Seminário Santa Teresinha, na Rua do Expedicionário, nº 133, eu lembro direitinho porque eu escrevia muitas cartas para a família, amigos, e ali eu aprendi muito o caminho da vida religiosa, redentoristas, das nossas regras internas e aprofundei muito na convivência muito salutar. Tudo aquilo que diz respeito ao que eu queria na minha vida, como exemplo, Santo Afonso, sua espiritualidade e a missão redentorista”, lembra Pe. Robson.

Para permanecer nesta caminhada é preciso ter as virtudes do conhecimento de Deus, ou seja, a fé, esperança e o amor, o que Pe. Robson tem em seu coração. “Fé, porque Deus é grande! Fé porque Deus te chamou! Fé porque a missão existe para todo batizado, mas esta radicalmente para aquele que se consagra. Esperança, porque mesmo com todos os limites humanos, o Senhor ainda te quer, te escolhe, prefere você a muitos outros. E o amor porque sem ele a gente não tem essa virtude, essa grandeza, essa vontade de servir. O amor é o fundamento de toda nossa vida. Quem não ama, não conhece a Deus. É no amor que nós servimos, amamos e somos comunhão com Deus. É porque Ele nos ama como Filho que nós o servimos como Pai”, afirma o sacerdote.

O Missionário Redentorista conta que sempre buscou viver isso, se entregando por completo ao Pai. “Eu lembro quando eu estava no seminário e, pelo menos uns 50, durante o período que eu estudei, me formei, foram deixando o seminário ao longo do tempo. E eu me perguntava por que eu continuei. E, às vezes, eu ia até o Santíssimo rezar e pedir ao Senhor e dizia ‘Se o Senhor não me chamou, me chama agora, me convida para servir esta obra’. Então, eu acredito que esse chamado já existia, mas eu queria que Deus realmente mostrasse isso na minha vida”.

Disposto a propagar o amor do Pai Eterno aos lares de todo o Brasil, Pe. Robson deu início a um trabalho de evangelização incansável, que foi além e se espalhou pelo mundo inteiro. “Eu nasci e cresci subindo e descendo o morro do Santuário Novo, que é a atual Basílica. A minha vida foi toda pautada por essa devoção. Eu conheço o Santuário desde quando ele ainda tinha os formatos antigos, antes de 1996 e era realmente um lugar simples, humilde, a Romaria já era anual, às vezes tínhamos missa, era uma vez por semana e depois isso foi tomando maiores proporções. A Romaria tem força própria, a devoção ao Pai Eterno tem força própria e esse amor que eu tenho, essa devoção vem da minha própria infância como coroinha, como alguém que queria realmente servir no altar. E isso foi se aprofundando e minha vida foi realmente um querer servir ao Pai Eterno e Maria Santíssima”, pontua o reitor.

São 25 anos de uma vida dedicada totalmente para o seguimento a Cristo, na evangelização das pessoas e em busca de transformar a vida de tantas outras. Um propósito feito diante do Pai e que vem sendo cumprido. “Me traz um sentimento de gratidão muito grande. Olhamos para traz e nem imaginamos que passamos tudo isso. Esses dias eu parei e fiz essa conta, quando saiu a circular do meu Superior, e eu percebi que eu estava na lista dos padres que faziam 25 anos de vida religiosa. É um Jubileu de Prata na vida religiosa”, comemora o padre.

Confrade e amigo, Pe. Jesus Flores, parabeniza Pe. Robson e reconhece a importância do seu trabalho religioso. “No mundo de hoje, onde temos tanto desamor, desperta neste jovem a vocação de um compromisso radical com o nome de Deus, com o amor do Pai Eterno, com o compromisso de uma vida levada às últimas consequências para proclamar que Deus é Pai, que Deus nos ama, Deus quer o nosso amor e Deus tem por nós um amor infinito. Todos nós sabemos qual foi o alcance do Pe. Robson não só nessa região, mas como no Brasil e mundo. O amor do Pai se tornou amado é foi muita gente que descobriu isso a partir do seu trabalho com as novenas. Foi uma missão que transformou a Romaria do Divino Pai Eterno de uma pequena Romaria pra uma Romaria permanente, que se divulgou para todo o país, de modo que pessoas passam por Trindade em romaria diária. Portanto, que o Pai Eterno lhe dê a força necessária para que leve até o fim a propagação do nome e a obra grandiosa de um santuário digno da grandeza do amor do Pai. Que Deus o abençoe sempre”, cumprimenta o padre.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.
2 Cometários
  • Sandra Keppler
    5/2/2020 - 13:13:22

    Parabéns, Padre Robson, pelos FANTÁSTICOS 25 anos bem vívidos e cheio de realizações. Muitos 25 anos mais de muito sucesso em seu abençoado projeto de evangelização (desejos de Maria Claudina, Sandra – eu – e de toda a nossa família).

  • Terezinha da Costa Bochi
    5/2/2020 - 17:43:08

    Linda a sua vida Pe. Robson! Uma vida de dedicação e certeza de servir o Divino Pai Eterno fez e faz de você uma pessoa diferenciada. Ouvi-lo e rezar com você enche o meu coração de alegria e muita fé! Você transmite, por palavras e atos, o que o Pai Eterno quer de Seus Filhos: AMOR!!!! Parabéns Pe. Robson pelo seu Jubileu de Prata à Serviço da Missão de Evangelizar. Deus o abençoe!!!!

  • TV Pai Eterno

    MATÉRIAS RELACIONADAS






    Baixe o aplicativo Pai Eterno

    Google Play
    App Store