Notícias

Conheça a Igreja Sagrada Família construída a pedido de Pe. Pio

Igreja e o Convento Capuchinho são destaques na paisagem de Pietrelcina

O devoto de São Pio que chega a Pietrelcina pela via principal avista ao longe o conjunto religioso sonhado por seu ilustre filho. A Igreja da Sagrada Família e o Convento dos Frades Capuchinhos foram construídos após a saída de padre Pio da pequena cidade de Pietrelcina e por sua vontade expressa. As construções surgem na área chamada “Gregaria”, um campo aberto e um local de encontro para pastores.

A construção teve início em 1928 e as obras foram concluídas em 1951. A igreja, consagrada à Sagrada Família a pedido de Padre Pio, é em estilo românico. As obras internas, as mais caras, foram pagas graças a um apelo dirigido aos emigrantes oriundos de Pietrelcina e residentes na América.

“A história conta que um dia Pe. Pio, com então pároco de Pietreltina, Salvatore Panolo, enquanto passeava por este lugar, ele escutou a voz de anjos e sons de sinos. Então, ele profetizou que aqui seria um convento, um seminário menor. Como ele disse, há aqui um convento, não mais um seminário, mas ainda é um convento dos padres capuchinhos” , conta Ir. Elisua Lima.

O trabalho de construção começou depois que alguns moradores de Pietrelcina conseguiram a ajuda financeira de Mary Pyle, uma americana rica que se mudou para San Giovanni Rotondo para ficar mais perto do Pai. Ela escolheu viver a pobreza franciscana, usando sua riqueza em favor dos pobres e das missões. Filha espiritual de Padre Pio, se empenhou para a conclusão da obra na cidade natal do santo capuchinho.

O interior da igreja tem três naves: uma maior central e duas laterais menores, com capelas e pinturas artísticas da Via Crucis. O edifício religioso tem 20 metros de largura e 40 de comprimento. O próprio Padre Pio participaria da cerimônia inaugural, mas o retorno dele não aconteceu. Ele já a havia visitado espiritualmente, conhecendo os mínimos detalhes da edificação.

Padre Pio não esteve aqui, mas quando os pietrelcinenses iam a San Giovanni Rotondo, ele sempre mandava saudações para esta Igreja. Então, as pessoas diziam a ele: Padre, o senhor não conhece esta Igreja. E ele dizia: eu conheço quantos passos existem neste convento, por assim dizer, que é como se Padre Pio estivesse aqui, ele conhecia esta igreja”, afirma Ir. Elisua.

O mosaico da Sagrada Família na parede central do altar-mor é uma obra de arte da Escola vaticana de Mosaicos. Nas laterais estão as estátuas de Santa Isabel, rainha da Hungria, e de São Luiz, rei da França, patronos da ordem franciscana. Os vitrais são decorados e as estátuas dos santos foram todas escolhidas pelo próprio Padre Pio, exceto a imagem do idealizador capuchinho, abençoada pelo Papa João Paulo II por ocasião da beatificação em 2 de maio de 1999.

Na igreja conventual da Sagrada Família, desde 2010, também é possível rezar diante do precioso relicário que abriga a única relíquia do corpo de Padre Pio preservada fora de San Giovanni Rotondo: o osso hióide; um osso em forma de “U”, localizado na base da língua, não conectado ao esqueleto por meio de articulações, mas apenas com ligamentos e músculos e, portanto, é o único osso que se destacou naturalmente do corpo de Padre Pio no momento de seu reconhecimento canônico.

“Pe. Pio me impressiona demais, não tanto aqui, mas quando estive em San Giovanni Rotondo vi a riqueza da nova igreja, os outros masaicos. Então, eu disse que se Pe. Pio tivesse visto uma coisa desse gênero, talvez não estivesse gostado. Não só porque tivesse uma vida de renúncia, de sofrimento, de humildade, mas também porque foi assediado pela Igreja, foi julgado e até mesmo no convento por seus irmãos. Isso me tocou muito, porém fiquei muito feliz quando foi proclamado santo, pois é um exemplo para nós”, comenta Juliana de Cerco, devota em peregrinação.

Dentro da igreja, há também o túmulo do Frei Modestino de Pietrelcina, frade menor capuchinho que teve o privilégio de ser muito próximo de Padre Pio. Ele morreu no dia do aniversário da primeira missa do Padre Pio em Pietrelcina, em 14 de agosto de 2011. “Estou aqui há alguns anos. Eu gosto da espiritualidade que se sente nesta cidade, uma cidade muito calma. Mesmo o corpo de Padre Pio estando em San Giovanni Rotondo, aqui se sente muito a sua presença. Então eu gosto muito de trabalhar aqui em Pietrelcina”, conta Ir Elisua Lima.

Destaque especial na paisagem de Pietrelcina, a Igreja da Sagrada Família e o Convento Capuchinho cumprem a profecia feita por Padre Pio, quando recém ordenado sacerdote a Don Salvatore Pannullo, então pároco da cidade: “Aqui um dia um convento de frades se levantará, com uma igreja, e o incenso da oração e o cântico de louvor serão levantados ao Senhor todos os dias”.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store