Notícias

Novena Internacional: Saiba mais sobre a Igreja Santa Maria das Graças

Lá Pe. Pio viveu maior parte do seu ministério sacerdotal

Quem conhece a história de São Pio sabe que o amor dele pela Bem-Aventurada Virgem Maria era intenso. Tanto que sempre exaltou as virtudes de Nossa Senhora e incentivava os católicos a recorrerem com confiança a sua piedosa intercessão.

Como verdadeiro filho de Maria Santíssima, Padre Pio sempre teve o Rosário como uma grande arma contra o maligno. Por vários momentos de sua vida, teve o consolo de Nossa Senhora nas horas de dor e aflição. Tanto que uma das ternas devoções que padre Pio tinha pela Mãe do Belo Amor foi a Santa Maria das Graças.

E foi em um templo dedicado a ela que o frade capucchinho começou um trabalho intenso em 1916, na cidade de San Giovani Rotondo. A pequena Igreja de Santa Maria das Graças que já funcionava desde 1581 foi construída em um plano retangular, com uma fachada simples e uma torre central com sino. No interior, um único altar, em estilo barroco, com quatro capelas laterais, decoradas com imagens de alguns santos.

Foi dentro desta igreja que São Pio realizou a maior parte de seu ministério sacerdotal. Visitava diariamente por longas horas a Jesus Sacramentado, para se preparar para as Missas, e foi daí que tirou as forças necessárias, para seu grande trabalho com as almas, levando todos os fiéis até o Pai por meio do Sacramento da Confissão.

Tanto que ainda hoje é possível encontrar o confessionário em que padre Pio passava horas no atendimento aos cristãos. O altar também é o mesmo que ele celebrava as missas. A maioria dos peregrinos que chegam no local, dobram os joelhos em oração, neste momento de entrega ao Pai Eterno.

Padre Pio ficou conhecido como o “frade dos estigmas”. A fama dele se espalhou, atraindo milhares de pessoas em busca de orientação espiritual. O número de fiéis foi aumentando cada vez mais e, com a necessidade de mais espaço para a acolhida deles, uma nova igreja foi erguida. Ambas, nova e antiga, são dedicadas a Santa Maria das Graças e constituem um corpo único. A obra teve início em 1956 e a inauguração aconteceu em 1° de julho de 1959.

“A nova igreja foi construída em tempo recorde e em 1º de julho de 1959 foi a celebração de dedicação e consagração da nova igreja construída ao lado da antiga, dedicada também a Santa Maria delle Grazzie. E Pe. Pio continuou a atender as confissões na igrejinha antiga, onde atendia as mulheres no confessionário e, na sacristia, atendia aos homens. Mas, as celebrações a partir de julho de 1959 começaram a acontecer na igreja grande dedicada à Santa Maria Delle Grazzie, até a última missa em 22 de setembro de 1968, e na noite seguinte, terminou sua caminha terrestre”, diretor de Tele Rádio Pe. Pio, Stefano Campanella.

Mesmo com alguns problemas de saúde no fim dos anos 60, que provocou fragilidade e cansaço, Padre Pio ainda celebrava missas e atendia aproximadamente 60 confissões por dia aqui. “O Ministério Sacerdotal de Padre Pio coincide com sua permanência em San Giovanni Rotondo, e, portanto, com a sua presença na velha Igreja de Santa Maria delle Grazie, a igrejinha conventual, e depois de 1959, na nova Igreja de Santa Maria Delle Grazie, hoje santuário. Aqui Padre Pio celebrava a missa em cada manhã, quando as suas condições de saúde permitiam. Aqui Padre Pio desenvolveu seu grande ministério no confessionário. Um ministério que se tornou o seu próprio martírio, porque ele transcorria como um soldado penitente, ou nas suas palavras, para apaziguar os irmãos das amarras de Satanás por meio do sacramento da reconciliação”, comenta Stefano Campanella.

Um dos momentos marcantes foi no dia 22 de setembro de 1968, dois dias após completar 50 anos de ter recebido pela primeira vez os estigmas de Cristo. Mesmo muito debilitado celebrou uma Missa Solene para centenas de peregrinos. Aquela seria a última missa presidida por ele.

Na nova igreja, o grande destaque é um mosaico de Maria na glória dos anjos. Abaixo, São Pio como intermediário entre Maria e a humanidade. A pintura do santo foi feita quando Padre Pio foi canonizado. E basta dar uma volta para encontrar nos corredores laterais nove altares. Com destaque para a estátua de madeira de Santa Maria das Graças e dois mosaicos recentes que retratam São João Paulo II e a Santa Teresa de Calcutá, com relíquias relativas.

“Aqui no Santuário de Santa Maria Delle Grazzie ele celebrou também segundo as normas do Concílio Vaticano II, voltado para o povo presente na Igreja grande. A única coisa que Padre Pio não fez, mas esta exceção foi concedida pela Santa Sé, era a adequação da língua. Padre Pio celebrou até a última missa em latim, mas não porque ele não aceitava as normas do Concílio. Mas, porque, ele sabia a missa em latim de cor e nos últimos anos de sua vida, a sua visão foi se degenerando gradativamente e ele não conseguia ler o missal em italiano. Por isso pediu a autorização para continuar celebrando em latim, de cor, porque ele não seria capaz de celebrar. Mas ele aceitou as normas do Concílio, tanto que celebrou a missa voltado para o povo”, conclui o diretor.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store