Notícias

“Foi a melhor decisão da minha vida”, afirma leiga sobre servir a Igreja

Conheça a história de vida e vocação leiga da jovem Jéssika Camila Lima Silva. Ela teve sua realidade transformada após uma experiência com Nossa Senhora

Agosto é celebrado como Mês das Vocações na Igreja Católica e uma delas é a Vocação Leiga. A Jéssika Camila Lima Silva, 26 anos, profissional de Recursos Humanos, vive o chamado para servir a Igreja há alguns anos e, desde então, se sente muito feliz em poder contribuir e viver a graça do Pai Eterno em sua vida.

Ela conta que o envolvimento com o Catolicismo foi gradativo, até porque sua trajetória religiosa teve início na Igreja Evangélica. “Lembro que bem pequena, por volta dos oito anos, eu comecei a ir para Igreja com meu pai. Sempre fui muito envolvida, interessada, sempre ajudei, servi. Quando eu fiquei mais velha, meus pais se separaram e isso foi um choque muito grande pra mim, dei uma desanimada e parei de frequentar a igreja. Depois de um tempo, recebi um convite para visitar a Paróquia Nossa Senhora Assunção, em Goiânia (GO), e eu aceitei. Fui e fiquei encantada com a missa, com a homilia do Pe. Marcos Rogério”, contou.

Depois de um tempo conhecendo a Igreja Católica, Jéssika foi convidada pera um encontro de jovens, o Segue-me, onde viveu experiências de aproximação do Deus. “Como eu tinha uma base evangélica, eu tive muita resistência. Era tudo muito diferente, conflitos de ideias, convicções e algumas coisas não faziam sentido”, lembra.  Segundo ela, o tempo foi passando e neste encontro de jovens, as coisas passaram a fazer sentido: “Tive uma experiência linda com Nossa Senhora, um chamado. Eu não estava preparada, mas foi um ponta pé, foi ali, em 2014, que eu percebi o caminho e fui aceitando. Até que em 2016 tomei  a decisão de crismar, eu decidi dar o meu ‘sim’ ao catolicismo. Eu tenho muito carinho por este tempo de crisma, o que me fez ser uma verdadeira e autentica católica apostólica romana”.

Depois de crismas, Jéssika passou a servir a Igreja. “Sou catequista com muito amor, sirvo no Crisma porque sou apaixonada pelo sacramento. Foi uma das melhores decisões da minha vida. Através dele eu me vejo evoluindo enquanto cristã. A cada dia que passa, que eu estudo mais, eu tenho que ter mais retidão para poder passar para as pessoas. Então, se for para eu falar de Nossa Senhora, por exemplo, eu preciso amar o ministério e eu tenho muito amor por ele”, afirma.

Além de servir a Igreja, Jéssika vive um namoro santo. “Recebemos direcionamento espiritual e procuramos nos alimentar da leitura do Evangelho Diário. Foi proposto para nós a Oração do Santo Rosário. Então, nós rezamos juntos, fazemos orações todos os dias.  Tenho uma devoção especial por Santa Rita, conhecer a história dela, conhecer como foi o matrimônio dela me engrandeceu muito. Santa Rita foi uma mulher muito caridosa e eu admiro muito por isso, me espelho nela”, conta.

Hoje, Jéssika olha para traz e se orgulha do caminho que percorreu até aqui. “Eu sou muito grata pela minha pequenez e de alguma forma acrescentar para outras pessoas, ser canal de graça. Tenho falhas, erro, mas busco constantemente melhorar e incentivo para que as pessoas façam o mesmo. Eu me ser usada pelo Espírito Santo e não tenho palavras para descrever isso. Todos nós somos chamados a viver a santidade e não sermos somente banco dentro da Igreja, é muito importante que façamos algo pela comunidade que frequentamos. Seja servindo dízimo, as pastorais sociais, pastoral da moradia, ajudando o próximo. Sou muito grata por servir”, conclui Jéssika.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store