Notícias

Padre João Paulo fala sobre a celebração da fé em tempos de pandemia

O missionário redentorista explica que a a fé está

 

A Celebração da fé tem sido um desafio para os Romeiros e devotos do Divino Pai Eterno que, mais um ano, precisaram se adaptar para acompanhar a Romaria de forma virtual. Esse é uma de tantas mudanças que a pandemia trouxe para as pessoas que passaram descobrir novos caminhos a partir dessa crise sanitária mundial. Diante disso, a fé precisou estar ainda mais forte, pois, a presença de Deus se fez ainda mais essencial na família e na vida das pessoas. Porém rezar virtualmente, fortalecer a fé diante da dor é sempre um desafio.

Para falar sobre isso, o apresentador do Programa Ponto 3, Marcus Túllius conversou com o reitor do Santuário Basílica, Pe. João Paulo Santos. O Missionário Redentorista é formado em filosofia e em teologia , com especialização  em cinema e educação. Além disso possui mestrado em Sagrada Escritura e cursa doutorado na mesma área Pela Universidade Gregoriana De Roma e falou um pouco da fé, da responsabilidade dos cristãos, das adaptações diante à pandemia, da Romaria 2021 e do trabalho dos Missionários Redentoristas.

Veja um trecho da entrevista:

Como vivenciar a fé em tempos de crise?

Essa pergunta é fundamental, é a pergunta que a humanidade faz. Por que do sofrimento? Muitas vezes pensamos que ter fé significa estar protegido de qualquer tipo de dificuldade, de limitação. Mas, se a gente olha para a história do povo de Deus, a própria dimensão da fé ela nasce em momentos de crise. Recordo-me aqui da experiência que o povo de Israel fez. Em um tempo de crise é que eles perceberam que não estavam sozinhos e tinha um Deus que os acompanhavam, exatamente por causa dessa presença de Deus na sua história, é que eles puderam fazer toda caminhada, mesmo que através do deserto que um lugar rígido, difícil, exigente e cheio de provações, mas por crer que Deus estava presente, eles conseguiram fazer essa travessia. Eu me recordo também do que disse Paulo aos Romanos que eu creio que seja significativo para nós também hoje. “Nós nos gloriamos também nas tribulações” porque a tribulação gera a paciência. A paciência gera a constância, a constância gera a esperança e a esperança não decepciona, porque Deus, em seu espírito, derramou o seu amor em nossos corações. Então é muito importante  termos essa consciência. Crer em Deus não nos coloca fora das situações de limitações e dificuldades. Ao contrário, nos ajuda a passar pelas dificuldades sem perder a serenidade, sem desanimar, e sem desistir.

Como podemos serenar nosso coração diante desses sentimentos que a gente acha que nos distanciam de Deus?

Geralmente quando passamos por momentos como esses igual a pandemia, a gente nos pega a perguntar até mesmo onde está Deus, ou o porquê do silêncio de Deus. Isso sem falar de perguntas ainda mais absurdas daqueles eu dizem que a pandemia é um castigo de Deus, e são dois riscos em dizer isso. O primeiro é desacreditar na misericórdia de Deus. Como pode Deus, misericordioso fazer alguma coisa para que pessoas inocentes sofram? E a segunda é a gente tirar a nossa responsabilidade. não podemos ver deste modo. É um problema da humanidade e nós devemos enfrentar para superar. E ainda posso dizer que não se pode dizer que se tem fé ao dizer que Deus existe. Isso é pouco. A fé é adesão pessoal a Jesus Cristo e ao seu projeto e isso deve-nos levar também a viver como Jesus viveu enfrentando as crises, mas sem perder a serenidade.

Confira a íntegra da entrevista:

 

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno