Especial

Vocação leiga: servir a Deus na comunidade cristã

Na quarta semana de agosto, a Igreja Católica celebra a participação ativa dos leigos

Na quarta semana de agosto, a Igreja Católica celebra a vocação leiga. Os leigos são pessoas que, apesar do trabalho e da rotina familiar, conseguem um tempo para se dedicar à missão na Igreja. Ministros da Eucaristia, salmistas, acólitos, catequistas e aqueles que participam dos ministérios e pastorais são exemplos de leigos dentro da Igreja.

“A vocação não é só para padres, irmãos e irmãs. O primeiro passo é entendermos que nós também somos vocacionados, somos Igreja. Somos chamados a sermos sujeitos eclesiais, entendendo, a partir do nosso batismo, a nossa identidade, vocação e missão”, diz a presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), Sônia Gomes de Oliveira.

Ela lembra que a presença e atuação dos leigos na ação da Igreja foi ampliada por ocasião do Concílio do Vaticano II (1962-1965). A partir dele, passaram a ter de igualdade em relação ao clero em termos de dignidade, mas não em relação as suas funções.

Para tal, aos leigos foi confiada maior participação em todos os serviços e ações da Igreja, em atividades das paróquias, na ação catequética de crianças e jovens, no apostolado e evangelização, na presença social e em tantas outras expressões.

Dedicação e fé

De acordo com o Pe. José Luiz da Silva, o leigo não desempenha uma função específica. A sua tarefa principal é transformar as atividades que desempenha na vida profissional, por exemplo, conforme o projeto de Cristo.

“Nós temos várias formas para que o leigo possa realizar sua missão na Igreja. O Concílio do Vaticano II nos deu a base para essa participação ativa do leigo. Em todas as pastorais da Igreja, o leigo é chamado a fazer uma presença consciente e plena. Essa ação vem exatamente do Divino Mestre Jesus Cristo, que auxilia o seu povo a dar uma resposta a Deus Amor”, acrescenta o religioso.

A presença ativa do laicato na Igreja é importante, pois ela se amplia para o mundo. O fiel que exerce algum tipo de serviço engajado na Igreja, que estende a sua fé ao encontro dos mais necessitados, sem dúvida, estará mais propenso a vivenciar, a encarnar o Evangelho em todas as dimensões de sua vida.

Com informações da CNBB


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Faça parte desta família

Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno