Especial

Papa anuncia a criação de novos cardeais, sendo dois brasileiros

Com isso, o Brasil passará a ter nove integrantes no colégio cardinalício, sendo seis eleitores

Na conclusão do Regina Coeli no último domingo, dia 29 de maio, data em que a Igreja festeja a Ascensão do Senhor, o Papa Francisco fez o anúncio de 21 novos cardeais que serão criados no Consistório, a ter lugar no dia 27 de agosto próximo. Entre eles estão dois brasileiros. O arcebispo da arquidiocese de Manaus (AM), dom Leonardo Steiner, e o arcebispo da arquidiocese de Brasília (DF), dom Paulo Cezar Costa. Com isso, o Brasil passará a ter nove integrantes no colégio cardinalício, sendo seis eleitores.

A Itália tem hoje 44 cardeais e ganhará mais cinco: o bispo de Como, Oscar Cantoni; o prefeito apostólico de Ulan Bator (Mongólia), Giorgio Marengo; o bispo emérito de Cagliari, Arrigo Miglio; o ex-reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana, Gianfranco Guirlanda; e o cônego de São Pedro, Fortunato Frezza.

Já os Estados Unidos, com 15, terão mais um: o bispo de San Diego, Robert McElroy. A Espanha, com 11 cardeais, também ganhará mais um: Fernando Vérgez Alzaga, presidente da Pontifícia Comissão para o Estado da Cidade do Vaticano.

Conheça mais sobre os dois cardeais brasileiros anunciados pelo Papa:

Trajetória de dom Leonardo Steiner
Dom Leonardo Ulrich Steiner nasceu no dia 6 de novembro de 1950, em Forquilhinha (SC). Ingressou na Ordem dos Frades Menores (OFM) no dia 20 de janeiro de 1972, quando foi admitido no Noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil.

Cursou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ), de 1973 a 1978, quando os dois cursos eram integrados. Foi ordenado padre pelas mãos do cardeal Paulo Evaristo Arns, seu primo, no dia 21 de janeiro de 1978, em sua cidade natal. Por sua formação pedagógica, assumiu trabalhos na área da educação, compondo os quadros de professores das suas casas de formação. De 1981 a 1982, concluiu o curso de Pedagogia, e de 1987 a 1994 tornou-se “mestre de noviços”. A partir de 1995, o frei Ulrich se transferiu para o Pontifício Ateneu Antoniano, em Roma, onde fez mestrado e doutorado em Filosofia.

De 1999 a 2003 exerceu a função de secretário geral do Pontifício Ateneu Antoniano. De volta ao Brasil, frei Ulrich foi nomeado vigário da paróquia do Senhor Bom Jesus, Curitiba (PR), onde também passou a lecionar na Faculdade de Filosofia São Boaventura.

Dom Leonardo Steiner foi nomeado bispo em 2 de fevereiro de 2005 pelo Papa João Paulo II, para a Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), sucedendo a dom Pedro Casaldáliga. Foi ordenado bispo no dia 16 de abril do mesmo ano, em Blumenau (SC), pelo cardeal Paulo Evaristo Arns, adotando como lema episcopal: “Verbum Caro Factum”, que quer dizer “Verbo feito carne”.

De 2007 a 2011, foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e vice-presidente do regional Oeste 2 da entidade, onde também foi bispo referencial para os presbíteros; para o Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e para os jovens.

No dia 10 de maio de 2011 foi eleito secretário-geral da CNBB, durante a 49ª Assembleia Geral. Em 21 de setembro daquele ano, o Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da arquidiocese de Brasília (DF).

Dom Leonardo foi eleito como membro delegado pela CNBB, para participar como padre sinodal da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, realizada em Roma, de 7 a 28 de outubro de 2012, com o tema: “A Nova Evangelização para a transmissão da fé cristã”.

No dia 20 de abril de 2015, foi reeleito secretário-geral da CNBB. Ao lado do cardeal Sergio da Rocha e de dom Murilo Krieger, dom Leonardo mobilizou toda a Igreja no Brasil para a reforma da sede nacional da CNBB, em Brasília. Seu mandato foi concluído no dia 10 de maio de 2019.

Dom Leonardo foi nomeado como novo arcebispo metropolitano de Manaus pelo Papa Francisco, no dia 27 de novembro de 2019. O novo arcebispo chegou à Manaus na tarde de quarta-feira, 29 de janeiro, e foi recebido por padres, bispos e agentes pastorais. A missa de acolhida foi celebrada, na sexta-feira, 31 de janeiro, às 19 horas, na catedral metropolitana de Manaus, Nossa Senhora da Conceição.

A Presidência da CNBB o nomeou, em 4 de abril de 2022, como o novo presidente da Comissão Episcopal Especial para a Amazônia. Dom Leonardo concluirá o mandato referente ao quadriênio 2019-2023. O arcebispo também é o 1º Vice-presidente da Conferência Eclesial da Amazônia, criada em 29 de junho de 2020, e erigida canonicamente pelo Papa Francisco em 9 de outubro de 2021.

Trajetória de dom Paulo Cezar Costa
Natural de Valença (RJ), dom Paulo Cezar Costa nasceu em 20 de julho de 1967, filho de Geraldo Manoel da Costa Amaral e Maria Alice Miranda Amaral. Possui graduação em Teologia pelo Instituto Superior de Teologia da arquidiocese do Rio de Janeiro (1991), Mestrado (1998) e Doutorado (2001) em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Foi ordenado presbítero aos 5 de dezembro de 1992. Em seu ministério presbiteral, foi vigário paroquial, pároco, reitor do Seminário Diocesano Paulo VI, em Nova Iguaçu (RJ). Colaborou na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) como membro do grupo de peritos da Comissão Episcopal de Doutrina e membro do Instituto Nacional de Pastoral.

Também atuou no âmbito acadêmico: na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), foi professor titular, coordenador e diretor do departamento de Teologia. No Instituto de Filosofia e Teologia Paulo VI, foi professor e diretor. Ainda exerceu docência no Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio de Janeiro e na Escola Teológica São Bento (ETSB).

Em 2010, foi nomeado pelo Papa Bento XVI como bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ). Durante o quadriênio 2011-2015, foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB. Na realização da JMJ-2013, atuou como diretor administrativo.

Em 22 de junho 2016, foi nomeado 7º bispo da diocese de São Carlos pelo Papa Francisco. Sua posse canônica ocorreu no dia 6 de agosto daquele ano, na Catedral de São Carlos. Atualmente, é integrante do grupo de bispos consultivos do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam); presidente do Grupo de Análise de Conjuntura Eclesial da CNBB; responsável pelo Setor Universidades da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação da CNBB; referencial para o Instituto Nacional de Pastoral Alberto Antoniazzi (Inapaz); membro do Conselho Permanente da CNBB; membro da Pontifícia Comissão para América Latina e do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos.

No dia 21 de outubro de 2020, o Papa Francisco escolheu dom Paulo Cezar Costa como arcebispo da arquidiocese de Brasília (DF). Sua posse ocorreu no dia 12 de dezembro, numa cerimônia restrita, por conta da pandemia, na Catedral de Brasília.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno