Especial

A importância do sacristão no Santuário Pai Eterno

Um trabalho que vai além do serviço, sendo um crescimento espiritual

No Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), o sacristão exerce um serviço precioso, ainda que de forma tantas vezes oculta e humilde na vida paroquial. É um apoio de grande relevância para os sacerdotes e para os fiéis.

O missionário redentorista fráter Eduardo Montalvão, que atua na animação litúrgica do Santuário, conta que o “sacristão” é a pessoa encarregada das responsabilidades práticas e logísticas associadas à sacristia. Uma função que desempenha um papel crucial na preparação e organização dos elementos necessários para as celebrações litúrgicas, contribuindo para a ordem e a devida preparação do espaço. Além disso, o sacristão é visto como alguém que assume um papel de devoção e serviço à comunidade religiosa.

Marcelo Dias é sacristão no Santuário, ele considera que exercer o ofício é uma missão de “acolher todos os religiosos que vão ministrar celebrações. E também poder orientar devotos sobre determinados ritos da Igreja”, explica Marcelo. Durante as celebrações, o sacerdote é assistido pelos acólitos, mas é o sacristão quem ajuda não apenas nas questões litúrgicas, mas também para o bom andamento cotidiano do serviço nas igrejas.

Muitas são as razões pelas quais o sacristão é importante, como a disponibilidade e serviço, a capacidade de adaptação, desejo de aprender e melhorar. Sem falar que não é só trabalho, pois é uma oportunidade de crescimento espiritual. Que não beneficia apenas a si mesmo, mas que ajuda muito nas relações com os outros.

Requisitos para um bom sacristão
Para ser sacristão é necessário um conjunto apreciável de qualidades humanas. A natureza deste serviço, especialmente no que se refere ao trato, à vigilância, ao bom gosto, ao acolhimento, e a sua necessária proximidade da celebração o exigem. Maturidade, sentido de responsabilidade, pontualidade, espírito de ordem e diligência, asseio e honestidade são qualidades que se exigem a quem deve receber, orientar e encaminhar pessoas e ordenar coisas: são eles, particularmente, que devem merecer a confiança dos outros e tratar com o sagrado.

Importa também possuir alguma preparação técnica: saber usar os instrumentos eletrônicos para a iluminação e megafonia, etc; adquirir sensibilidade e bom gosto para a disposição do espaço litúrgico, arranjo floral, ornamentação, etc; se também for o caso, obter os conhecimentos necessários de serviço de cartório.

Mas, além das qualidades humanas e conhecimento técnico, é importante sublinhar a qualidade da sua fé. Deve ser sempre a fé a estimulá-lo e a animá-lo a realizar o seu serviço e a ajudar a comunidade cristã no momento privilegiado da sua existência que é a celebração litúrgica. Não pode ser um funcionário, mas alguém que ama a sua igreja e a sua comunidade.


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.
1 Cometários
  • Helio Stefanini
    14/5/2024 - 08:10:15

    Olá, povo de Deus. Sou MECE Santuário Estadual de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Campo Grande-MS, que é Redentorista. Tenho um apreço muito grande pelos nossos sacristães, pois têm uma função abençoada que considero também evangelizadora, pois ao chegarmos para servir ao Senhor, muitas coisas já estão encaminhadas, assim, facilitando a nossa missão.

  • TV Pai Eterno

    Baixe o aplicativo Pai Eterno


    Google Play
    App Store
    © Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno