Esperança renovada

(Português) Histórias de devoção ao Divino Pai Eterno mostram o quanto a família é essencial para fortalecer a fé e a tradição.

Fé, amor e tradição. Assim podem ser resumidas as histórias dos vários romeiros que visitam Trindade ao longo do ano. Assim como Joaquim Alves, Sandoval Cardoso e Elenir Aparecida Pereira. Eles não apresentam nenhuma relação, mas carregam algo em comum: a grande devoção ao Divino Pai Eterno. Motivados pelos ensinamentos passados, que aprenderam com seus pais e avós, eles não medem esforços para demonstrar o profundo amor e gratidão que sentem por Deus Pai.

Joaquim Alves da Silva, conhecido como Duca, tem 86 anos de idade e 72 de participação na Tradicional Festa em Louvor ao Divino Pai Eterno, em Trindade (GO). Desde 1945, incentivado pela mãe, que também era uma romeira fiel, nunca deixou de participar da Romaria. Todos os anos, ele sai de Goianápolis (GO) e percorre uma distância de aproximadamente 80 quilômetros até a Capital da Fé de Goiás para agradecer pelas bênçãos recebidas.

Foram várias as formas de locomoção durante todos esses anos: carro de boi, a pé, bicicleta, a cavalo e caminhão pau de arara. O meio mais inusitado encontrado por Duca para se dirigir à Festa foi uma capela móvel, puxada por um carro de boi ou caminhonete. Construída há seis anos, a “capelinha”, como foi carinhosamente apelidada por ele, chama a atenção de todos pela sua singularidade e demonstração de amor ao Pai Eterno.

“Pedi ao Pai que me concedesse inteligência para eu fazer essa capelinha em quatro rodas para participar da Festa. Cheguei em casa, risquei em uma cartolina e consegui planejá-la. No outro ano, ela estava pronta para seguir viagem”, revela o aposentado.

Ele não esconde a imensa satisfação de participar anualmente da Romaria e faz questão de passar toda essa devoção aos sete filhos. “Assim como minha mãe me ensinou desde novinho a ter fé, acreditar e confiar no Pai Eterno, eu também procuro passar isso aos meus filhos e, felizmente, eles também são devotos”, afirma.

Uma corrente de fé que, segundo Duca, dificilmente será abalada: “Minha promessa é vir enquanto eu estiver vivo. Que o Pai Eterno me dê forças e saúde para continuar seguindo Seus passos e compartilhando Seu grande amor por todos nós”.

Perseverança

Sandoval Lobo Cardoso, de Araguaína (TO), também promoveu sua peregrinação até Trindade de forma diferente. Grande devoto do Pai Eteno, ele percorreu 1.450 quilômetros a cavalo, durante 27 dias, como forma de agradecimento por todas as graças alcançadas por ele e sua família. O cansaço, o sol e a poeira das estradas não foram empecilhos durante a viagem. Sua fé superou todas estas dificuldades e ele conseguiu chegar à Casa do Divino Pai Eterno.

“Todo ano participo da Romaria de Trindade. Neste ano, resolvi vir de forma diferente. É uma tradição, minha família toda é devota e eu tinha essa vontade há muitos anos. Graças ao Pai Eterno, consegui chegar e estou completamente realizado. Foi uma experiência maravilhosa!”, afirma o cavaleiro.

Durante o percurso, Sandoval fazia o revezamento entre cinco animais e teve o apoio de dois amigos para dar o suporte necessário. Ele ainda contou com a solidariedade das pessoas que moram às margens das estradas para ter onde dormir, descansar e prosseguir o caminho no dia seguinte.

“Fiz a viagem rezando o tempo todo e agradecendo por tantas bênçãos. Experiências como essa nos ensinam a ter  mais amor ao próximo e dar mais valor à vida. Quando vi minha família me esperando no Santuário Basílica, a emoção tomou conta. Não tenho palavras para descrever o que senti e o que o Pai Eterno representa em nossas vidas”, diz.

Ensinamentos

Na família Severiano, a devoção ao Divino Pai Eterno se mantém firme e também se tornou uma tradição. A matriarca, Elenir Aparecida Pereira Severiano, de 66 anos, orgulha-se ao dizer que foi apresentada ao Pai Eterno pelos pais e avós, e conseguiu passar para os seus filhos e netos. “Há anos, acompanho todas as Missas e Novenas pela televisão, além de tomar a água benta diariamente. Tenho muita fé no Pai Eterno e, por isso, agradeço todas as graças que Ele já me concedeu”, afirma.

Ela participa há 29 anos da Festa do Divino Pai Eterno e faz questão de levar toda a família. Seu filho, Patrício Pereira Severiano, é nascido e criado na devoção. Neste ano, ele acompanhou a irmã durante peregrinação pela Rodovia dos Romeiros. Os dois fizeram o percurso correndo em duas horas e meia. “Estive em Trindade pela primeira vez aos sete anos, minha mãe quem me trouxe. Esta cidade faz parte da minha vida. Nunca deixei de vir e virei sempre agradecer por tudo”, destaca.

Seguindo os mesmos caminhos da avó, João Christian Pereira Silva, de 10 anos, é um romeirinho desde a barriga da mãe. Ele também teve contato com o Pai Eterno desde pequeno e não esconde a satisfação por participar todos os anos da Festa. “Gosto muito de acompanhar minha avó nas Missas, Novenas e na Romaria. Tenho fé no Pai Eterno e quero levar essa devoção para a vida toda”, disse.

Elenir conta ainda que é associada à Afipe, a Associação Filhos do Pai Eterno, há anos e aguarda ansiosamente pela construção do Novo Santuário. “Recebo mensalmente a carta do Pe. Robson e sempre dou minha contribuição. Quero acompanhar todos os passos e poder conhecê-la com toda minha família depois de concluída”, finaliza a devota.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno









Newsletter