Santos João Fischer e Tomás More

João Fischer nasceu na Inglaterra e foi chamado por Deus à vida sacerdotal. Ele fez uma jornada acadêmica de muito destaque até chegar que se tornou a ser Arcebispo de Rochester. Ele foi um homem de grande influência intelectual, cultural e religiosa a partir do seu testemunho de vida. João Fischer diante do contexto das confusões da Reforma ele se declarou contra e se manifestou em defesa da fé católica.

Naquele período, Henrique VIII, por causa de um envolvimento com uma amante, quis que a Igreja declarasse nulo seu casamento. Mas, ao ser analisado pelo Bispo de Rochester, viu-se que não era o caso. Mas com insistência e imposição, Henrique VIII se auto-declarou chefe da Igreja da Inglaterra.

Em meio às confusões religiosas e políticas, o testemunho de Fischer foi essencial para mostrar  a verdade, que nem sempre é acolhida. O Papa já havia escolhido ele para Cardeal, mas Henrique VIII o condenou à morte e no seu martírio, São João Fischer reafirmou sua fé na Igreja Católica e em Cristo. Seu sangue foi derramado no ano de 1535.

No mesmo ano, Tomás More, outro intelectual que teve grande influência no meio universitário. Ele era chanceler do rei, mas não se vendeu diante do ato de supremacia de Henrique VIII. Tomás também foi martirizado, mesmo sendo leal ao rei, ele era acima de tudo leal a Deus. Em 1535 Tomás More foi decapitado. Em meio às confusões, o testemunho faz a diferença.

Santos de Outubro

Ver todos

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store