São Sisto II e companheiros mártires

Os anos de 250 até 260 foram uns dos mais terríveis e, ao mesmo tempo, gloriosos do Cristianismo, terríveis devido à fúria dos imperadores Décio e Valeriano, e gloriosos por conta dos inúmeros mártires que foram os que mais glorificaram a Deus, apesar da perseguição.

O Santo Papa Sisto II, a quem celebramos neste dia, foi um destes homens que soube transformar o terrível em glória, a partir do seu testemunho de fé, amor e esperança em Cristo Jesus. Pertence à lista de cinco consecutivos Papas mártires, São Sisto II governou a Igreja durante um ano (257 – 258) e neste tempo semeou a paz e a unidade no seio da Igreja de Cristo.

Sisto foi decapitado pela polícia durante uma cerimônia clandestina que ele celebrava num cemitério da via Ápia. Foram ao mesmo tempo executados seis dos sete diáconos que o rodeavam. Só pouparam algum tempo o diácono Lourenço, seu tesoureiro, a quem deixaram quatro dias para entregar os bens da Igreja. Assim se procedia desde que o imperador Valeriano estabelecera a pena de morte “sem julgamento, só com verificação de identidade”, contra os bispos, padres e diáconos da religião cristã.

Desta forma, São Sisto II e seus companheiros mártires entregaram suas vidas em sinal de fidelidade a Cristo e foram recompensados com o tesouro da eternidade no Céu.

Santos de Outubro

Ver todos

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store