Unção dos Enfermos: Força que vem do Pai Eterno

  11 de outubro de 2018 • 10h10 • Atualizado em 11/10/2018 • 11h21

A série especial de reportagens, exibida no Programa Pai Eterno, sobre os Sete Sacramentos destacou nesta quinta-feira, 11, a Unção dos Enfermos, considerada pela Igreja Católica como o último Sacramento. Citada pelo apóstolo Tiago em sua carta, ela é uma forma de fortalecer aqueles que se sentem em perigo de morte por doença ou velhice. (Assista ao vídeo abaixo)

“A primeira função é aliviar a pessoa no nível espiritual e se for possível também no nível temporal, ou seja, na sua vida, neste mundo. Todavia, é de grande valor que a unção, com o é usada e conferida por meio de um óleo, ela é colocada justamente para a cura. Ela é o Sacramento da Cura, que ajudará a pessoa a se restabelecer na sua vida temporal”, explicou Pe. Bráulio Maria Pereira.

A Unção dos Enfermos só pode ser celebrada por um sacerdote (padre ou bispo) e o óleo usado é abençoado na Missa dos Santos Óleos, simbolizando a força do Pai Eterno na provação da doença e para o fortalecimento da pessoa que recebe. “Precisa ter o segundo ou terceiro grau da ordem para ministrar o Sacramento”, disse o padre.

Ainda de acordo com Pe. Braúlio, a finalidade da Unção é curar a alma dos efeitos do pecado e, se possível, deve ser conduzido junto com outros dois Sacramentos: “O Sacramento da Unção dos Enfermos, geralmente, é ministrado junto com a Eucaristia e o Sacramento da Confissão. Inclusive, tradicionalmente, a Igreja costuma realizar, por último, a Unção quando um sacerdote vai visitar uma pessoa gravemente enferma”, concluiu o Missionário Redentorista.

Veja também:

Maria Margarete da Silva, 56 anos, é aposentada, mora em Trindade (GO), e enfrenta uma doença autoimune há muitos anos. Para ela, a Unção dos Enfermos é uma força para viver. “Tem 40 anos que tive Lupus. Passei por fases bem graves, de internação, dos médicos me desenganarem; eu recebi a Unção dos Enfermos na UTI, e acordei na hora. Desde então, venho vivendo com esta devoção”, contou.

Para ela o Sacramento a deixa mais próxima do Pai Eterno e permite que a doença seja enfrentada com fé e oração. “Além dos remédios, o Divino Pai Eterno me traz mais este remédio, que me dá uma energia de dentro para fora”, afirmou.

O Sacramento possibilita que Margarete adquira paz e coragem para suportar o desafio da doença. “A Unção me aproxima mais do Pai Eterno e eu me sinto mais aconchegada nos braços dos Pai Eterno, me sinto fortalecida, como se eu tivesse tomado mesmo um medicamento” , declarou.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também