Trabalho voluntário muda a vida de várias crianças

  07 de janeiro de 2019 • 12h34 • Atualizado em 09/01/2019 • 12h00

O Programa Pai Eterno desta segunda-feira, 7, mostrou mais um exemplo de amor ao próximo praticado por quem tem compaixão e espírito solidário. O protagonista da história é o Márcio dos Santos. Ele é açougueiro, mas por meio do futebol tem mudado a vida de várias crianças. (Assista ao vídeo abaixo)

“Tudo começou através do meu filho caçula. Ele tinha aproximadamente sete anos de idade e ele tinha muita vontade de jogar bola. Até que um dia ele chegou chorando, falando que queria jogar, mas ninguém permitia. Então, foi quando pedi as contas no meu serviço e voltei para um antigo trabalho para trabalhar meio período. Foi quando eu fui a uma casa de esportes, comprei seis cones, uma bola e trouxe meus três filhos para o campo e comecei a treinar com eles. Fomos treinando e os garotos foram se aproximando, pedindo pra treinar também, um, dois, três e fiquei com umas dez crianças treinando”, relatou o treinador.

Cauê Soares Oliveira, 10 anos, é o filho do Márcio. Para ele, o projeto do pai foi a realização de um sonho. “Meu sonho sempre foi jogar em uma escolinha particular, jogar com os garotos profissionais, só que meu pai não tinha condição, mas Deus o fez abrir essa escolinha e foi muito bom. Conheci vários colegas”, disse.

Os treinos acontecem de segunda a sexta-feira, neste campo de terra batida em um bairro da periferia de Goiás. “Não tem como uma criança sair daqui, pegar um ônibus e ir para uma escolinha duas vezes na semana, por exemplo. Então, eu tomei essa iniciativa e todos os dias eu treino sem cobrar nada”, comentou Márcio.

Veja também:

Felipe Lemos Gomes, agente de segurança pública, acompanha os filhos todos os dias. “É um trabalho diferenciado, para o pessoal que precisa, carente, que não tem oportunidade de pagar uma escola. Eu faço questão como pai de trazer meus filhos, acompanhar e ficar para ver o trabalho dele, o desenvolvimento das crianças”, comentou.

Márcio afirmou que a fé é o que mais ajuda em seu trabalho no dia a dia. “A fé me ajuda muito. A fé move montanhas e é por ela que eu estou aqui com essas crianças e jamais vou desistir em nenhum momento da vida”, afirmou.

Todas que recebem orientação do treinador têm o sonho de ser jogador de futebol e cada um carrega uma história de desafios. “Quando eu for jogador eu vou ajudar a minha família, vou ajudar minha mãe, meu pai, minha vó, meu tio. Vou ser trabalhador e conquistar meu sonho. Ele já falou para eu não desviar do meu sonho e que eu sou um bom jogador”,  disse Kauã Felipe Batista de Souza, 9 anos.

Sebastião Ferreira de Almeida Santos, 13 anos, se encontrou como goleiro. “Eu quis jogar aqui com eles. E foi onde começamos a jogar juntos em campeonatos” , comentou.

Para o treinador, se mais adultos fizessem boas ações, as crianças poderiam ter um futuro melhor. As crianças são o nosso futuro. Se alguém, um profissional tirasse um tempo, um fim de semana para ajudar uma criança. Pelo menos, uma palestra. Um professor, qualquer profissional fizesse isso, eu tenho certeza que as crianças não cairiam no mundo das drogas, ou até mesmo ser um bandido. Eu tenho certeza que aquele criança mudaria seu trajeto”, concluiu.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também