Notícias

Trilhando o caminho de Deus

Crianças mostram que ter uma vida cristã é uma forma de aproveitar ainda mais a infância.

DESTAQUE_CRIANÇAS_TXT_03_2014_10_25“Ensina à criança o caminho que ela deve seguir; mesmo quando envelhecer, dele não se há de afastar” (Provérbios 22,6). A passagem bíblica revela a importância de mostrar, desde a infância, como seguir o que é certo. É nessa fase da vida do ser humano que a personalidade e o ca¬ráter vão se formando. Por isso, a educação, que começa em casa, com a família, deve ser pautada na fé, nos ensinamentos de Jesus, que conduzem para o caminho do bem.

Além das brincadeiras, dos presentes e da diversão, neste Mês das Crianças, é necessário também dar espaço para uma reflexão desse momento de formação espiritual. Nesse sentido, a Igreja tem buscado oferecer atividades ligadas à evangelização. Seja na catequese, no coral, no terço ou na Santa Missa. Muitas crianças têm visto na Casa de Deus um lugar para aprender mais sobre a vida cristã.

“Eu gosto de ir lá porque a gente aprende as coisas de Deus. Eu aprendi a rezar a Salve Rai¬nha e rezar o terço direitinho”, relata Ana Clara Alvarenga, de 10 anos. Ela participa do Terço das Crianças, às sextas-feiras, na capela da Vila São Cottolengo.

João Gabriel Moraes Alvarenga, de 9 anos, há dois anos também participa dos encontros. Ele lembra que aprendeu a ser católico com a avó. “Eu fico com ela todo dia, porque minha mãe sai cedo para o serviço e volta tarde. Muitas ve¬zes, ela vai ao terço da paróquia e eu vou junto. Antes eu não gostava muito, hoje eu já gosto”, contou.

A mãe de João Gabriel, Tayna Trajano Moraes do Carmo, diz que sempre incentivou o filho a participar da Igreja e se tornar uma pessoa te¬mente a Deus. “Eu sempre tive esse ensinamento de que a fé, a espiritualidade, é o ponto superior que uma pessoa pode ter e eu tenho que cultivar isso nele desde pequeno”, ressaltou.

Os mandamentos divinos e os princípios da cristandade devem ser trabalhados em casa, no dia a dia da família. Um papel atribuído aos pais. Mãe de duas filhas, Maria Auxiliadora dos Santos, afirma que reunir as crianças para rezar o terço é importante para essa caminhada na vida cristã. “É uma iniciativa muito boa para ensinar as crianças, desde pequenas, a rezarem o terço, a terem a devoção ao Divino Pai Eterno, a Nos¬sa Senhora”, disse. A filha dela, Maria Antônia Santos Oliveira, de 9 anos, participa do Terço das Crianças e comprova o valor desses ensinamentos: “Me ajuda a seguir o caminho de Deus”.

Brincando e aprendendo

DESTAQUE_CRIANÇAS_TXT_02_2014_10_25As crianças rezam com velas e rosas. Cada vela é um Pai Nosso, e cada rosa, uma Ave Maria. E assim, cada mistério vai sendo rezado pelas crianças. Em um clima de alegria e muita atenção, as crianças aprendem uma das orações comunitárias mais praticadas pelos católicos: o Santo Terço. Elas vão rezando e aprendendo. Para a coordenadora do Terço das Crianças, Ana Cláudia Ferreira Reis, as crianças são como sementes do amor que estão sendo germinadas para dar bons frutos. “A criança que se envolve inteiramente, ela envolve a família também, ou seja, se a família participa do momento de oração ou a criança pede para que os pais rezem com ela, valeu o esforço. A tarefa foi cumprida”, ressalta.

A catequista Ir. Márcia Regina Vaz, do Instituto das Filhas de Nossa Senhora da Misericórdia, afi rma que a catequese é também um bom começo para as crianças conhecerem e participarem das atividades da Igreja. “É na catequese que já começa a viver essa fé, ter essa comunhão, esse gosto por seguir a Jesus Cristo, conhecendo, rezando. E eles aprendem muito nesse sentido da oração, do encontro, dos ensinamentos de Jesus”, explica. A religiosa trabalha há sete anos como catequista. Com uma turma de crianças entre 10 e 12 anos de idade, Ir. Márcia Regina diz que os catequizandos têm muito interesse e sempre fazem perguntas. “Eles gostam bastante, são bem interessados em aprender”, revela.

Sonho realizado

“Eu aprendi várias coisas: a história de Moi- sés, os Dez Mandamentos. Agora, tenho que esperar os 14 anos para eu poder crismar”, afirma Caio Eduardo do Paraíso Santos, de 10 anos. Filho de uma família tradicionalmente religio-sa, ele acabou de receber a Primeira Eucaristia.

Rhuan Pablo, de 8 anos, participa do Coral Santíssima Trindade junto com o irmão, Hugo Filho, de 6 anos. Ele conta que sente algo di-ferente quando está cantando nas missas. “Eu sinto que eu estou falando com Deus e isso é muito bom”, confessa. A mãe, Patrícia Arantes, afirma que os fi lhos estão tornando real um desejo que sempre teve: “Eles estão realizando um sonho que eu tive quando era criança, que era de cantar no coral e nunca tive a oportunidade”.

Criado há seis anos, o Coral Santíssima Trindade tem sido uma opção para os que buscam participar mais da igreja. Atualmente, cerca de 20 crianças, entre 6 e 14 anos, compõem o co-ral. “Eu gosto de participar do coral porque é bom. Eu aprendi que a gente tem que amar as pessoas, o próximo”. A afirmação é de Ana Beatriz da Silva Souza, de 11 anos. Ela está no coral há quatro anos e, todos os domingos, canta na Missa das Crianças, na Igreja Matriz de Trindade (GO). A avó, Francisca de Fátima Souza, é sua maior incentivadora. “Hoje em dia, as crianças têm que ter uma base sólida, tanto na educação, na escola, quanto na parte religiosa”, pontua.

Ailton Lopes da Silva disse que a filha, Letícia Mendes da Silva, de 10 anos, está sempre animada para o ensaio do coral. “Toda sexta-feira, no horário de ir para o ensaio, eu estou trabalhando, aí ela vai lá e fala: ‘Pai, pode ir tomar banho que já está na hora da gente ir para o ensaio’”, conta. “Eu sinto alegria por participar”, diz Letícia. O coordenador do Coral Santíssima Trindade, Anésio Gomes de Souza, assegura que os pequenos têm muita vontade para aprender: “A gente ensina as crianças através da música, através do louvor e na liturgia também. É uma maneira de evangelizar e é a base do nosso can-to litúrgico futuro também. É uma maneira de trazer as crianças para a Igreja”.

Missa das Crianças

DESTAQUE_DIVINA_ARTE_TXT_2014_10_02Todos os domingos, as crianças de Trindade se reúnem na Igreja Matriz para uma missa de- dicada a elas. A celebração tem uma linguagem especial para que as crianças entendam o ritual litúrgico. Elas também participam fazendo as leituras ou cantando no coral. “É importante ter uma missa assim. Ela faz parte da catequese no sentido de evangelizar. As crianças sempre participam em um primeiro momento do encontro da catequese e, em se-guida, num segundo momento, na Missa das Crianças”, explica a coordenadora da catequese, Ilma Soares de Faria Alves.

Em Trindade, as crianças podem participar de várias atividades religiosas.

Terço das Crianças

Dia: sexta-feira

Horário: 18h

Local: Capela da Vila São Cottolengo

Coral Santíssima Trindade

Dia: sexta-feira

Horário: 17h30

Local: Salão Paroquial da Igreja Matriz

Missa das Crianças

Dia: domingo

Horário: 9h30

Local: Igreja Matriz


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS






Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store