Notícias

Você sabe o que é o Tempo Quaresmal?

Nesses 40 dias o católicos fazem jejum, oração e caridade para se aproximarem mais de Jesus

Os quarenta dias no qual os católicos realizam a preparação para a Páscoa, a mais importante festa do calendário litúrgico que celebra a Ressurreição de Cristo, base principal da fé cristã, é chamado de Quaresma. De acordo com o Frei Sérgio Henrique Rezende Gonçalves, da Ordem dos Frades Menores, o quarenta representa duas perspectivas. “Este número tem este significado primeiro de libertação e segundo de uma comunhão com Deus no mistério da Páscoa. Pois Jesus Cristo vai no deserto, vai conosco nesse deserto. E tem outro ponto importante, pois esses 40 dias representam também a nossa vida até a passagem para a vida eterna. São Francisco nos seus dias perto da morte dizia que ele estava entrando para a vida eterna”, explica.

Este período é a oportunidade de deixar o pecado e se voltar para Deus. Ao enfrentar as tentações do demônio no deserto, Jesus ensina os cristãos a vencerem o mal pela oração e pelo jejum. E em Sua Paixão, dá a própria vida pela Salvação do mundo, se tornando o maior exemplo de caridade. Por isso, a penitência é tão importante na Quaresma, pois leva o cristão à conversão. “É necessário um sacrifício, por exemplo, o jejum, algumas pessoas ficam toda a quaresma sem comer carne. Então tem sim uma conotação do sacrifício e da penitência. Porém, o jejum cristão não é só me abster de algo, eu faço o jejum para que aquilo que não estou usando possa servir para o outro, o jejum é sempre alinhado a uma obra de caridade”, pontua o Frei.

O religioso também destaca outras possibilidade de renúncia na Quaresma. “A penitência tem que ter a visão do amor. Eu faço penitência para amar mais, temos que ter esta ótica que era a de Jesus: a boa nova! Então, por exemplo, se eu sou capaz de renunciar ao tempo que passo no celular sem necessidade ou se sou capaz de renunciar a palavras que não constroem a vida do outro, eu já estou fazendo uma penitência para amar mais meus irmãos e amar mais a Deus”, afirma Frei Sérgio Henrique.

O primeiro dia da Quaresma é a quarta-feira de cinzas. Este tempo possui seis domingos celebrativos, sendo que o último se chama Domingo de Ramos e com ele se inicia a Semana Santa.  “A cerimônia da Quarta-feira de Cinzas marcam o início para que o cristão entenda que este é um período de penitência, um período particular de purificação e rever a própria vida durante os 40 dias. Quando chegamos na Semana Santa, celebramos o Domingo de Ramos que marca a entrada de Jesus em Jerusalém e depois chegamos ao ápice da nossa vida cristã que o Tríduo Pascal, onde revivemos a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo”, afirma Frei Sérgio.

Reflexão

Para auxiliar os cristãos neste período, frei Sérgio escreveu um livro intitulado “40 dias no deserto”, com orientações para cada dia do tempo quaresmal. Uma forma do fiel olhar para si e enxergar as mudanças que são necessárias para a vida. “O livro tem o objetivo de que, de forma simples, as pessoas possam compreender melhor a Palavra, meditando o Evangelho do dia, assim a pessoa pode compreender melhor o significado daquele ensinamento e proponho um gesto concreto para a pessoa fazer naquele dia, por exemplo, no Evangelho em que Jesus fala sobre o servir. A proposta é que a pessoa, após ler, meditar a Palavra e rezar, ela doe parte do tempo dela para alguém que precisa, para sair de si e encontrar o outro“, destaca Frei Sérgio.

Quaresma é tempo de penitência, purificação e conversão. E tudo ocorre para isso nesse período: seja a liturgia, os cânticos ou as orações. É a oportunidade de seguir Jesus em seus últimos momentos de vida para – junto com Ele –aprender o que é amor e misericórdia. “O Tempo Quaresmal nos chama para a conversão e apesar de muitas vezes as pessoas entenderem como algo pesado e difícil, na verdade é um caminho rumo a felicidade, a liberdade e realidade plena. A Quaresma nos chama a escutar mais a Palavra de Deus, a nos colocar mais na perspectiva do amor de Deus e fazer as mudanças necessárias para ser uma pessoa mais livre e semelhante a Jesus Cristo”, finaliza o Frei.

Vale lembrar que a confissão também é fundamental neste período. Pois é por meio deste sacramento que o cristão recebe da misericórdia do Pai Eterno, o perdão dos pecados e, se reconcilia com a Igreja.

Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno




Baixe o aplicativo Pai Eterno

Google Play
App Store