Especial

Senhor, livrai-nos do mal!

Toda a humanidade está angustiada com as notícias que chegam da Ucrânia. Nada mais resta, senão invocar a Deus

Nos resta rezar! Diante da violência inaudita e avassaladora da guerra, diante dos pesadelos de um conflito maior e devastador, diante da loucura e da irracionalidade que fazem o mundo tremer, nada mais resta senão invocar a Deus. Toda a humanidade está angustiada com as notícias que chegam da Ucrânia. Há incredulidade, medo, perplexidade. Há quem fale de sinais apocalípticos: a pandemia, as alterações climáticas, a guerra. Há quem recorde como começou a II Guerra Mundial: o Anschluss, a Sudetenland, a Polônia. O que podemos fazer diante do grande mistério da iniquidade? Somente elevar os olhos para o céu e rezar.

Podemos ajudar àqueles que sofrem. A Caritas está na linha de frente. Podemos pensar nas crianças, nas mães, nos pais, nos avós, nos homens e mulheres da terra ucraniana, que agora está tão próxima de nós. Eles pedem ajuda, solidariedade. Juntamente com eles estamos chocados, aterrorizados. Hoje sofrem eles, amanhã quem sabe. Não podemos ficar indiferentes. Eles são nossos irmãos e irmãs.

O que se quer ocupar? O que se quer destruir? Que armas serão usadas? Outros países serão atacados? Com que justificativas estúpidas e falsas? Não queremos acreditar que haja alguém tão louco a ponto de arriscar devastar o mundo para acrescentar um pouco de poder ao seu poder. O poder deste mundo passa rapidamente. E depois virá o juízo de Deus. Mas, a história nos ensina que, nestes casos, muitas vezes, o julgamento humano vem por primeiro.

Soldados vão para a guerra. Obedecem. Eles matam e são mortos. Por um pedaço de terra que algum poderoso ambiciona. Alguém vai recusar a ordem de matar inocentes? Alguém se rebelará contra o comando para realizar um bombardeio indiscriminado e atroz? Ou todos terão orgulho em esmagar os mais fracos? Gigantes orgulhosos em espezinhar os menores.

Diante desses eventos, sentimo-nos inermes, sem palavras. Só nos resta rezar e ajudar, cada um como pode. Todos nós devemos rezar, elevando nossa voz fraca para Deus. Mesmo aqueles que pensam que são ateus, podem rezar, basta um pensamento. O Criador ouve o grito de todas as suas criaturas. Devemos estar todos unidos agora, esquecendo toda divisão, todo contraste, todo rancor, para poder dizer juntos: Senhor, livrai-nos do mal.

Sergio Centofanti – Vatican News


Deixe o seu Comentário


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site, e podem passar por moderação.

TV Pai Eterno

MATÉRIAS RELACIONADAS



Baixe o aplicativo Pai Eterno


Google Play
App Store
© Copyright, Afipe - Associação Filhos do Pai Eterno