A importância da família na recuperação e prevenção às drogas

  12 de junho de 2018 • 10h46 • Atualizado em 13/06/2018 • 11h26

Há seis anos o Congresso Redentorista de Prevenção às Drogas integra o calendário de ações das Obras Sociais. Na semana passada o momento reuniu grupos de interesses que compartilharam experiências e confraternização. (Assista ao vídeo abaixo)

“Queremos convocar toda a sociedade, o poder público, instituições filantrópicas e privadas para que possam abraçar conosco esta causa. Nós sabemos que as drogas, hoje, não escolhem classe social e, por isso, exige de nós um esforço, um trabalho conjunto para vencermos este grande mal. É possível vencer sim, mas precisamos criar essa cultura de paz e amor”, ressaltou o diretor das Obras Sociais Redentoristas, Pe. Reinaldo Martins.

Com o tema “Drogas: Prevenção, Superação da Violência e Inclusão Social”, o congresso pautou a papel da família na luta contra as drogas. “Falamos sobre a importância da família para o desenvolvimento psicológico e social do ser humano. A família é uma instituição muito importante” destacou a psicóloga palestrante, Aliciana Oliveira de Freitas.

De Campinas (SP), a psicóloga especialista em dependência química, Laura Fracasso, debateu o tema com os participantes do congresso. “Quando falamos da doença, da recuperação é um processo. Não tem cura! Então, precisamos prevenir para que a recaída não aconteça. Se ela acontecer o que precisamos fazer? Não é desanimar, perder a esperança, pelo contrário, se conseguirmos lidar adequadamente com o que aconteceu, com o episódio que levou à recaída, muitas vezes aquilo era necessário no processo de recuperação”, pontuou.

Veja também:

O lema do congresso faz referência ao Evangelho de Matheus “Vos sois todos irmãos” e mostrou a importância de aproximar o assunto da vida cristã. “Quem é discípulo de Jesus já tem um fator de proteção que é muito maior. Então, nós levamos este amor a outras pessoas”, pontou o diretor das Obras Sociais.

Francisca Nunes do Nascimento, educadora social, participou do congresso e falou sobre a importância do que ouviu nas palestras para o seu dia a dia de trabalho. “Projeto muito importante para mim, que sou educadora, para me ajudar com as crianças, que, às vezes, tem pais que são usuários. É muito importante para que eu possa ajudar de um jeito ou de outro”, afirmou.

Frei Ataufo Dhernyson, estudante, também estava na plateia das palestras. “Somos chamados e tomamos esta responsabilidade enquanto Igreja. Com disse o Papa Francisco é a Igreja em saída, com o povo, com as pessoas. Não podemos estar distante das pessoas. Jesus estava ao lado das pessoas, e enquanto marginalizadas da sociedade, precisam da Igreja mais próxima a elas”, concluiu.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também